VOCÊ ESTÁ AQUI:
  •  Aproveitamento de consultas na Policlínica Oswaldo Cruz é superior a 70%
 Aproveitamento de consultas na Policlínica Oswaldo Cruz é superior a 70%
  • Fonte: Decom
  • Publicada em 18/05/2017 às 19:14
Os dados estão no relatório de gestão de 2016, apresentado semana passada pela Assessoria Técnica da Secretaria Estadual de Saúde (Astec/Sesau).

A Policlínica Oswaldo Cruz (POC) – referência em Rondônia no tratamento de alta complexidade, com capacidade de mil consultas por dia, em 40 especialidades – tem 71,88% de aproveitamento de consultas. Um índice considerado acima da média, em comparação com outros estados.

Os dados estão no relatório de gestão de 2016, apresentado semana passada pela Assessoria Técnica da Secretaria Estadual de Saúde (Astec/Sesau). No total, 268.888 consultas foram agendadas – com dia e hora – pelo setor de regulação da policlínica, de janeiro a dezembro do ano passado.

Desse número, segundo dados da Astec, 192.859 consultas foram realizadas, totalizando um crescimento de 30% em relação ao mesmo período de 2015. De acordo o relatório de gestão, 153.090 foram consultas médicas, 37.946 consultas de programas – hanseníase, pré-natal de alto risco, infectologia – e 76.852 especialidades não médicas.

De acordo com o secretário Williames Pimentel, além do crescimento da oferta pelo governo de Rondônia, através do Sistema Único de Saúde (SUS), e do aumento do índice de aproveitamento dos agendamentos, o estado comemora, ainda, o sucesso da regulação implantado pelo governo.

Ele explicou que a Sesau tem controle total de todos os procedimentos realizados: nome do paciente, local onde mora, qual a especialidade, quando foi atendido, quanto o paciente custou ao estado, enfim, possui dados confiáveis, atualizados para traçar um perfil dos pacientes atendidos e o investimento do governo em cada especialidade, um avanço grande, um salto de gestão que precisa ser comemorado.

AMBULATÓRIOS
O relatório apresenta ainda um dado positivo em relação à cobertura de alta complexidade oferecida pelo estado: o crescimento na oferta da Atenção Ambulatorial Especializada. Dados do relatório apontam um aproveitamento de 99%, uma das mais altas do País.

De janeiro a dezembro do ano passado foram programadas 786.403 consultas. Desse total, foram realizadas 779.056. Porto Velho – que está na região de Saúde Madeira-Mamoré – foi responsável por 64% dos atendimentos. Em segundo, a região Central, com 9% das consultas realizadas, seguida do Sul, com 7%.

Pimentel chama a atenção para um dado: a região do café ficou com 6% da Atenção Ambulatorial Especializada. Segundo ele, o índice mostra que a estratégia montada pelo governo de Rondônia com a criação do Complexo Hospitalar de Cacoal para a descentralização do atendimento está funcionando. Hoje, a região tem estrutura para atender procedimentos de alta complexidade – inclusive de cirurgias – que desafogam o João Paulo II, e garante à população atendimento sem a necessidade de vir para Porto Velho, como acontecia anteriormente.

  • Atualizada em 18/05/2017 às 19:14:12