VOCÊ ESTÁ AQUI:
  • Em rede de rádio, momento de Rondônia é debatido por autoridades
Em rede de rádio, momento de Rondônia é debatido por autoridades
  • Fonte: Assessoria
  • Publicada em 20/03/2017 às 10:33
Confúcio, Raupp e Maurão de Carvalho fazem relato de ações

Durante entrevista em rede de rádio, com cerca de 50 emissoras, desde a rádio Antena Hits, em Ariquemes, o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), o governador Confúcio Moura (PMDB) e o senador Valdir Raupp (PMDB), destacaram a força produtiva e o crescimento de Rondônia.

O prefeito de Ariquemes, Thiago Flores (PMDB), também participou da entrevista, conduzida pelo jornalista e advogado Arimar Souza de Sá.

A rodada de entrevista foi aberta pelo senador Raupp, que foi questionado sobre as condições da BR 364. Ele lembrou que foi o responsável pela construção do Porto Graneleiro em Porto Velho. “Já naquela época se falava sobre esse impacto sobre a rodovia. Trouxe impacto, mas trouxe progresso. Por isso, defendo a restauração dos trechos, em alguns já em execução, mas temos que fazer gestões para que a rodovia seja toda restaurada, no período de estiagem”.

Raupp disse que serão vários lotes, mas a expectativa é de que haja a licitação para reforma e até a duplicação de trechos da rodovia.

“A duplicação, no primeiro momento, de Pimenta Bueno até Ariquemes, onde tem mais cidades. Entre Ariquemes a Porto Velho, o pavimento seria melhorado e alguns trechos, duplicados. A exemplo do trecho entre Vilhena e Pimenta Bueno. Se o Dnit autorizar, quem sabe essa licitação para a duplicação de trechos ocorra já no próximo ano”, previu.

O senador também comentou sobre a destinação de emendas para Rondônia. “No Senado, temos uma atuação forte. Foram R$ 20 milhões para duplicar a ponte em Ji-Paraná, onde destinamos recursos ainda para a saúde. São 20 milhões para Cacoal. Emendas para Guajará, Pimenteiras, enfim muitas áreas, em todas as regiões. Individualmente, liberei R$ 80 milhões, sem contar essas emendas de bancada”, relatou.

Segundo Raupp, “em Ariquemes, quando o governador Confúcio foi prefeito, destinamos muitos recursos e isso permitiu que ele fizesse uma boa gestão e com isso se credenciasse ao Governo. Agora mesmo, numa ação de toda a bancada, asseguramos R$ 156 milhões, já empenhados, que vão garantir quase duas mil máquinas e equipamentos”.

Confúcio ressaltou que “é importante que as autoridades falem para a população, prestando contas das ações que têm feito. Temos notícias boas, temos o lado bom de Rondônia e precisamos mostrar Rondônia que dá certo. A agropecuária está tomando conta do Estado e isso vai nos conduzir a um cenário econômico cada vez melhor”.

Indagado sobre a boa nova de seu Governo, Confúcio destacou que “é o nosso crescimento positivo, enquanto o país enfrenta uma crise horrorosa. Isso se deve ao próprio povo, corajoso, que enfrentou as dificuldades e o Governo facilitou a atividade econômica, com o apoio da Assembleia Legislativa. Pagamos salários e fornecedores em dia”.

O governador afirmou que a recuperação de áreas degradadas, além da regularização fundiária, são ferramentas importantes para o crescimento sustentado de Rondônia.

Maurão de Carvalho destacou a atuação do Legislativo, que tem tido papel preponderante na harmonia entre os poderes e instituições.

“Buscar o equilíbrio entre os poderes, permitindo o Estado crescer de forma consolidada, mesmo com as dificuldades que o país enfrenta. Esse tem sido o nosso trabalho. A Assembleia tem sido parceira das prefeituras e atuado para fortalecer os municípios. Os deputados aprovaram essa suplementação de R$ 156 milhões, que vão garantir 440 tratores de pneus, máquinas e equipamentos para as cidades”.

O prefeito ressaltou o esforço da bancada federal e da Assembleia, para apoiar os municípios. “É importante demais que haja essa sintonia entre os poderes, permitindo que o Governo tenha tranquilidade para apoiar os municípios, que enfrentam muitas dificuldades e é preciso a parceria e a criatividade para superar os desafios”.

 

Segurança

O crescimento da violência foi um tema abordado durante a rodada de entrevista. Raupp disse que a falta de uma educação de base de qualidade, em todo o país, levou a uma crescente violência.

“Sem educação, o acesso ao emprego é dificultado, por exemplo. Só acredito no fim da violência quando tivermos uma educação melhorada, com qualificação profissional. Isso não é feito em um mandato apenas, mas é um processo gradativo que precisa ser priorizado”, observou.

Confúcio comentou que “a insegurança é um problema complexo. A sociedade está com medo, mas não toma uma posição. Não aponta caminhos, mas tornam as casas verdadeiras prisões. O medo e a apatia predispõem cada vez mais à violência, a meu ver”.

Segundo ele, “a violência não é combatida somente com polícia na rua. Precisa de inteligência, tecnologia e criatividade. Minha sugestão é que haja uma maior participação das pessoas nas discussões sobre a criminalidade. Temos que participar ativamente do combate à violência, com a força da sociedade”.

 

Lava Jato

O recente indiciamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do senador Valdir Raupp, pelo suposto recebimento de recursos ilegais na campanha de 2010, também foi tema da entrevista.

“Foi uma contribuição oficial de campanha. Declarado à Justiça Eleitoral. O diretório do PMDB quem recebeu a doação de cerca de R$ 2 milhões e foi repassado, legalmente, à minha campanha ao Senado R$ 460 mil. Tudo foi devidamente comprovado e aprovado pela justiça eleitoral. Houve o recebimento da denúncia no STF e vamos apresentar a nossa defesa e esclarecer tudo”, disse Raupp.

“Não cometi nenhum crime, não fiz nada fora da lei e não coloquei um centavo no meu bolso. Não sou culpado. Acredito em Deus e na justiça do meu país. O momento que estamos vivendo é muito difícil. Quero esclarecer ao povo de Rondônia que estou com a consciência tranqüila”, garantiu.

Indagado sobre como recebeu essa denúncia contra Raupp, o governador disse que “ficou chateado e entristecido”, por conhecer o trabalho do senador. “Espero que ele seja inocentado. Faz-me lembrar daquele erro da revista “Veja”, que condenou o Ibisen Pinheiro, mas depois ficou provada a sua inocência. O caso será analisado com isenção pelo STF e tudo se esclarecerá”, ressaltou.

Maurão de Carvalho observou que a doação legal precisa ser respeitada, como foi o caso envolvendo o senador. “É uma situação complicada: tudo seguiu o rito legal e ainda assim é levantada suspeita sobre essa doação, que recebeu o aval da justiça eleitoral. Isso abre um precedente perigoso”, completou.

 

Reforma da Previdência

A posição de Raupp sobre a reforma da Previdência foi questionada por ouvintes do programa, espalhados por Rondônia.

“A reforma está muito dura. Sou do mesmo partido do presidente Michel Temer, mas já o comuniquei que sou contra esse projeto de reforma. Reforma tem que ser feita, mas esse projeto tira muitos direitos dos trabalhadores e não podemos nos omitir dessa responsabilidade”.

Maurão completou que na segunda-feira (20), às 9h, a Assembleia Legislativa vai realizar uma audiência pública para tratar da reforma da Previdência.

 

Futuro político

Na última parte da entrevista, o governador foi questionado sobre seu futuro político. Saindo pela tangente, ele não deixou claro as suas pretensões.

“Meu maior sonho é encerrar o mandato e ficar no meio da rua, aqui em Ariquemes, falando mal dos políticos. O cenário político está muito esquisito, não é bom falar nada”, disse em tom de brincadeira.

Confúcio disse ainda que seu Governo está na fase de entregas de obras. “O filé mignon seria a entrega do Hospital de Urgência e Emergência (Heuro) em Porto Velho. É muita coisa emperrando, e não vai ser possível inaugurar em meu mandato. Mas, temos obras como a rede de água em Porto Velho, que vai atender 12 mil casas. Temos obras de asfalto, pontes e muitas outras ações”.

Maurão não descartou uma possível pré-candidatura ao Governo. “Sendo da vontade de Deus, estou à disposição do partido para esse desafio”.

Finalizando, Raupp agradeceu aos ouvintes e reafirmou confiar na justiça de Deus e dos homens. “Vou seguir de cabeça erguida e trabalhando por Rondônia, como tenho feito ao longo desses anos”.

  • Atualizada em 20/03/2017 às 10:37:06