VOCÊ ESTÁ AQUI:
  • Mariana Carvalho participa de curso sobre primeira infância em Harvard
Mariana Carvalho participa de curso sobre primeira infância em Harvard
  • Fonte: Assessoria
  • Publicada em 15/03/2017 às 08:45
Na avaliação da congressista, é necessário aprimorar a legislação brasileira quando o assunto é primeira infância.

A deputada Mariana Carvalho (PSDB – RO) está participando nesta semana, do curso de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância na Universidade de Harvard (EUA) com os maiores especialistas do mundo nessa área.

Integrando missão oficial da Câmara na conceituada universidade, que é referência mundial, a parlamentar justifica a importância de se discutir o tema. “A primeira infância é uma fase extremamente sensível para o desenvolvimento, pois é quando o ser humano forma toda a sua estrutura emocional e desenvolve a sua personalidade, caráter e capacidade de aprendizado”.

Na avaliação da congressista, é necessário aprimorar a legislação brasileira quando o assunto é primeira infância. Segundo ela, seu aprendizado nessa temática é fundamental no propósito de propor soluções práticas e eficientes para o Brasil.

Durante o curso, os  participantes estão tendo a oportunidade de discutir soluções, propor ideias, trocar experiências e aprender sobre assuntos de interesse da sociedade. “Que seja uma semana de muito aprendizado e que o Brasil possa incluir políticas públicas cada vez mais avançadas e inovadoras para o desenvolvimento da Primeira Infância”, observou  Mariana Carvalho.

De acordo com estudos feitos pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, por volta dos dois anos de idade, o cérebro do ser humano atinge o pico de sua atividade. Nessa fase, é possível estabelecer até 700 novas conexões neuronais por segundo – praticamente o dobro de sinapses executadas aos dez anos de idade.  É nessa fase que se formam as bases de aprendizado que serão utilizadas ao longo de toda a vida.

Entretanto, mais de 200 milhões de crianças ao redor do mundo nessa faixa etária não conseguem atingir seu pleno potencial cognitivo por estarem expostas a fatores como subnutrição, pobreza, violência e aprendizagem inadequada. No Brasil, a vulnerabilidade social atinge 21,6% das crianças de zero a três anos, segundo dados da ONG Todos Pela Educação, com base na Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (Pnad) 2013. Na zona rural, a taxa sobe para 40%.

  • Atualizada em 15/03/2017 às 08:45:03