VOCÊ ESTÁ AQUI:
  • Patrimônio prende cinco membros de uma quadrilha que agia na região de Jaci
Patrimônio prende cinco membros de uma quadrilha que agia na região de Jaci
  • Fonte: Da Redação
  • Publicada em 18/05/2017 às 18:54
Os acusados que foram presos devem ser recambiados para a capital durante a semana e as diligências em busca dos foragidos prossegue

A Polícia Civil de Rondônia, através da Delegacia Especializada em Repressão a Furtos, Roubos, Extorsões, Sequestros, Estelionato e Outras Fraudes (DERFRESEF) – Delegacia do Patrimônio – deflagrou uma operação, “Operação Dâmocles”, desde a manhã desta quinta-feira (18) para prender uma quadrilha que agia na região de Jaci Paraná e Mutum, roubando veículos (caminhonetes e tratores) que eram levados para a Bolívia para ser trocada por drogas.

Na coletiva de imprensa realizada na Delegacia do Patrimônio, o delegado titular, André Tiziano relatou que se tratava de uma operação policial da Patrimônio a qual vem investigando a partir de três inquéritos policiais desde o ano passado.  A associação criminosa agia há tempos, principalmente  em Jaci Paraná.

“A operação de hoje contou com apoio de policiais de diversas unidades, não só de Porto Velho, como também de Guajará Mirim, Nova Mamoré e contou com nove delegados de polícia, dez escrivães e 40 agente de polícia, totalizando 59 policiais”, disse André.

Foram executados 17 mandados de prisão preventiva, cinco de busca e apreensão e duas medidas cautelares diversas relacionadas a afastamento de servidores públicos da unidade de trabalho.

O resultado foi a prisão de cinco membros da quadrilha e foram cumpridas sete mandados de prisão preventiva, porque um deles tinha em si contra três mandados de prisão preventiva.

Quatro pessoas são considerados foragidas da Justiça.

COMO AGIAM

A diretora da Central de Polícia, Dra. Rosilei Lima, contou à imprensa como agiam os acusados. De acordo com ela, eles agiam com armamento pesado, encapuzados, usando luvas e fortemente armados, rendiam as vítimas na área rural, em Jaci Paraná e Mutum, escolhiam as fazendas que seriam roubadas, invadiam, fazia reféns e que eram mantidas em cárcere no meio do mato durante toda a madrugada enquanto os veículos eram atravessados na balsa do Abunã com destino a Bolívia onde eram comercializados, trocados por drogas.

Algumas ações criminosas desse grupo foram frustradas, alguns veículos foram recuperados e nesse meio tempo a polícia já vinha investigando a atuação desses bandidos.

Um dos infratores, considerado pela polícia como o mentor intelectual da quadrilha, Gevanildo, vulgo “Nildo”, foi morto em Guajará Mirim no final do ano passado, ao se envolver em um confronto com a Polícia Militar durante uma tentativa de roubo.

Dra. Rosilei Lima disse que na operação a esposa de “Nildo”, Silvânia, vulgo Nana, foi presa.

“Ela era uma das mais atuantes da quadrilha, chegando a ser uma das mentoras, dando até suporte. Com a morte do “Nildo”, o Rogério Teixeira, “Careca”, acabou sucedendo no comando”, relatou a diretora da Central de Polícia.

O “Careca” tem três mandados de prisão preventiva porque a polícia identificou a atuação dele em três roubos. E alguns membros dessa quadrilha se repetiam como acusados em outros roubos, por isso tinham outras preventivas em curso.

Entre os crimes registrados nesse caso está tentativa de latrocínio. “Eles chegaram a espancar uma vítima, desfigurando-a com pancadas no rosto com a coronha de uma calibre 12. Essa vítima chegou a fazer uma cirurgia de reconstrução facial”, contou Dra.  Rosilei.

Na Justiça foi pedido o afastamento de três policiais militares de suas funções, sendo deferidas em Juízo o afastamento de dois deles. Todos dos distritos de Jaci Paraná e Mutum, onde ocorriam a ação da quadrilha e os policiais facilitavam.

Os acusados que foram presos devem ser recambiados para a capital durante a semana e as diligências em busca dos foragidos prossegue.

OS PRESOS

Foram presos na operação: Rogério Teixeira Galvão, “Careca”, Alana Cecília Basílio (esposa de “Careca”), Advair José de Souza, “Grandão”, Silvania Maria da Silva Corrêa e Adriano dos Santos Pereira.

 

FORAGIDOS

- JACKSON DOS SANTOS COELHO (NEGUINHO)

- GRASIELA AMANDA DA SILVEIRA

- CLAUDEMIR MACHADO DE OLIVEIRA (MIR)

- JHONES RICHARD RIBEIRO XAVIER DA SILVA (vulgo MENOR).

  • Atualizada em 26/05/2017 às 20:58:37