Living

Macron "desaparece" da vida pública em meio à crise política – Gazeta do Povo

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O presidente da França, Emmanuel Macron, tem feito raras aparições públicas desde que saiu derrotado no 1º turno das eleições legislativas no último dia 30.
Segundo o jornal Político, a última vez que o mandatário foi visto em público nas ruas foi ao ir votar na cidade costeira de Le Touquet no domingo, ocasião na qual atraiu muita atenção nas redes sociais e nos canais de notícias.
Depois dos resultados eleitorais desastrosos, Macron sequer fez um pronunciamento na televisão francesa para “confortar” seus aliados nas eleições parlamentares. O Palácio do Eliseu apenas emitiu uma breve declaração do presidente pedindo “ampla unidade” aos eleitores.
De acordo com o Político, a realidade é que a popularidade do atual presidente está em queda livre até mesmo entre os aliados, que o querem fora da campanha eleitoral.
“Disseram-lhe para parar [de fazer campanha]… E não é que ele tenha realmente ouvido a nossa mensagem, é mais que ele foi forçado a ouvi-la”, disse um representante do partido Renaissance ao jornal, sob condição de anonimato.
“[O presidente] subestimou o quanto o público estava desanimado com sua personalidade”, disse ainda a fonte próxima da situação.
Isso ficou evidente em uma entrevista de um ministro do governo Macron, que admitiu a imagem “desgastada” do mandatário francês. Segundo Christophe Béchu, líder da pasta de ecologia, desenvolvimento sustentável e energia, “há um desgaste que afetou todos os presidentes da Quinta República. Ele [desgaste] é ainda maior porque este é o segundo mandato de Emmanuel Macron”, disse ao canal francês TF1.
O Reagrupamento Nacional (RN) de Marine Le Pen obteve uma vitória retumbante no primeiro turno das eleições legislativas na França, após alcançar 33,15% dos votos junto aos aliados conservadores, o que tem preocupado o atual governo macronista.
Por sua vez, a coligação de esquerda da Nova Frente Popular (NFP) obteve 27,99% dos votos e torna-se assim a segunda grande força política do país, à frente da maioria agora em fim de mandato do presidente Emmanuel Macron, que é o grande perdedor das eleições, com 20,04% dos votos.
Com a possibilidade de uma nova vitória no 2º turno do RN, de Le Pen, o presidente francês pode ter que entrar em um governo de “coabitação” com o partido de direita nacionalista, que deve comandar o maior grupo no parlamento.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *