Living

Milei lança plano de alfabetização na Argentina – Gazeta do Povo

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O presidente Javier Milei lançou nesta quinta-feira (4) um plano nacional de alfabetização na Argentina (país onde sete em cada dez crianças não entendem o que leem), que aumentará a quantidade de recursos destinados às províncias, assim como exigências impostas a professores e alunos.
“É hora de unir forças entre o governo nacional, os governos provinciais e a sociedade, e escolher novamente esse pilar [alfabetização] que é o ponto de apoio de todo o sistema educacional”, disse Milei em discurso na província de San Juan.
O “coração” do plano é “fornecer recursos e ferramentas aos professores e elevar os padrões, tanto para os professores quanto para os alunos”, explicou Milei.
O plano consiste em “treinar todos os professores em alfabetização”, “dar recursos às províncias” para treiná-los, “avaliar os professores” do governo nacional e “propor incentivos” para que os melhores professores lecionem nas escolas com os piores indicadores de alfabetização, acrescentou.
“Vamos avaliar os alunos mais e mais cedo para identificar alertas em leitura e escrita, antes que seja tarde demais, porque hoje as avaliações do Aprender são realizadas a partir da sexta série e serão antecipadas a partir da terceira série”, disse Milei.
O presidente argentino propôs uma “mudança na cultura educacional” para se diferenciar dos governos kirchneristas dos ex-presidentes Néstor Kirchner, Cristina Kirchner e Alberto Fernández.
“Não vamos ser complacentes com o analfabetismo, porque foi isso que nos trouxe até aqui. Temos que recuperar o valor da exigência e da busca pela excelência. A demanda é boa, não é ruim. A avaliação é boa, não é ruim. Sejamos claros: avaliação não é estigmatização”, disse o mandatário.
As estatísticas detalhadas por Milei mostram que metade dos alunos do ensino fundamental não atinge o nível adequado de compreensão de leitura para a idade, um número que sobe para 70% na sexta série, “portanto, não é de surpreender que, dada essa falha na base, apenas 54% dos que ingressam no ensino médio se formam, e menos de dois em cada dez o fazem em tempo hábil”.
Milei lembrou que a Argentina foi um dos primeiros países do mundo a eliminar o analfabetismo e é o país da região com o maior número de prêmios Nobel. Ele lembrou o ex-presidente Domingo Sarmiento, nascido em San Juan e reconhecido por promover a educação durante seu governo.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *