Living

Petrobras: 11 projetos serão indenizados por desastre no Paraná – Gazeta do Povo

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
A segunda etapa das audiências na Justiça Federal do Paraná para cumprimento do acordo com a Petrobras para indenização pelo vazamento de petróleo em Araucária (PR), em 2000, terminou nesta sexta-feira (5) com aprovação de 11 projetos que devem ser contemplados por parte dos recursos destinados pela estatal para compensação do desastre ambiental, atualmente calculado em quase R$ 1,4 bilhão.
Receba as principais notícias do Paraná pelo WhatsApp
O objetivo das audiências iniciadas na quinta-feira (4) era avaliar os projetos apresentados pela sociedade civil, governo paranaense e municípios para destinação dos valores da indenização bilionária. No total, foram mais de 450 propostas apresentadas, sendo que 11 projetos foram aprovados integralmente e 146 com ressalvas.
Dos 15 projetos apresentados pelo município de Araucária, seis foram aprovados pelo Conselho de Recuperação de Bens Ambientais Lesados (Crbal). As propostas envolvem desde programa de resposta a incêndios ambientais, criação de unidades de conservação, revitalização de parques próximos ao rio Iguaçu e programas de educação ambiental.
Em 2021, a Petrobras celebrou um acordo com o Paraná para pagar a indenização, visando a recuperação das áreas atingidas por 4 milhões de litros de petróleo que se espalharam pelos rios Iguaçu e Barigui.
O valor total de R$ 930 milhões, que corrigido já chega a R$ 1,2 bilhão, será destinado ao Paraná, sendo que até 5% montante será encaminhado ao município na Região Metropolitana de Curitiba, onde está localizada a Refinaria Getúlio Vargas, mais conhecida como Repar, que registrou o acidente em 2000. 
Segundo a Justiça Federal, a porcentagem é a mesma para os municípios da Bacia do Alto Iguaçu, que apresentaram 30 projetos com seleção de apenas três sem ressalvas: a criação de parques urbanos nos municípios de Contenda, Lapa e Porto Amazonas. Os demais projetos, tanto de Araucária quanto da Bacia Alto Iguaçu que foram aprovados com ressalva, passarão por ajustes para implementação.
“Estes encontros foram muito importantes, pois é uma resposta frente a catástrofe ambiental que aconteceu no Paraná há mais de 20 anos. Com a aprovação desses projetos, os municípios afetados irão receber o recurso para dar viabilidade econômica e aplicar as ações que irão gerar impacto direto para a população do Paraná”, ressalta o juiz federal Antônio César Bochenek.
Nesta sexta-feira, os projetos das unidades de conservação do Paraná foram avaliados. Dos 18 apresentados, o Paraná Mais Verde: Levantamento e Controle de Espécies Exóticas Invasoras (EEI) em Unidades de Conservação Estaduais e o Programa Parques Paraná: Conservação do Muriqui-do-Sul no Estado do Paraná foram aprovados.
Além disso, a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Fema) apresentou 383 projetos. Dois foram aprovados integralmente e 143 com ressalvas. Os demais continuarão em análise por meio de reuniões técnicas que devem se iniciar na próxima semana.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *