Sem categoria

Tribunal de Justiça de RO diz ter feito 1ª transmissão de júri ao vivo no país – G1

11/03/2013 16h02 – Atualizado em 12/03/2013 09h36
Vanessa VasconcelosDo G1 RO
Nesta segunda-feira (11), quando se iniciou o julgamento do policial militar reformado e advogado Mizael Bispo de Souza pela morte da namorada Mércia Nakashima com transmissão ao vivo pela TV, rádio e internet de todo o país, o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) informou que a primeira transmissão de um júri popular no Brasil foi realizada em maio de 2010. A transmissão do julgamento dos envolvidos nas 27 mortes na Casa de Detenção José Mário Alves, conhecido como Urso Branco, em Porto Velho, ocorrido em janeiro de 2002, foi feita ao vivo para TV e internet.
De acordo com o TJ-RO, em quase um mês de julgamento, 24 réus foram a júri popular. Em agosto de 2011, os recursos contra os julgamentos também foram transmitidos no 2º grau de jurisdição, também pela internet.
Duas câmeras foram instaladas no interior a sala, estrategicamente posicionadas a fim de não expor jurados e réus. As imagens foram transmitidas em tempo real pela internet traduzida em duas línguas estrangeiras (inglês e espanhol).
O mesmo sinal era retransmitido às emissoras de TV. Na página criada para cobertura do júri era possível ter acesso às peças processuais, como a Denúncia, Defesa Prévia, Alegações Finais, Decisão de Pronúncia, Recursos apresentados e, no decorrer dos julgamentos, as sentenças propaladas pelo juiz Aldemir de Oliveira.
Em 2011, o Tribunal de Justiça de Rondônia recebeu o Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, promovido pelo Fórum Brasileiro de Assessores de Comunicação, pela cobertura do caso Urso Branco feito no ano anterior, com a transmissão do júri.
Caso Urso Branco
Na época dos assassinatos, cerca de 1,3 mil detentos superlotavam a casa de detenção. Após uma tentativa frustrada de fuga, presos ameaçados de morte foram executados a golpes de armas artesanais, chamadas de “chuchos”. O caso teve repercussão internacional e resultou na condenação do Estado pela corte da Organização das Nações Unidas pela violação dos direitos humanos dos detentos do presídio Urso Branco.

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *