Living

Governo quer importar gás mais barato da Bolívia sem passar pela Petrobras – Gazeta do Povo

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O governo brasileiro está em negociações com a Bolívia para reduzir em até 40% o preço de importação do gás natural destinado à indústria nacional. A medida faz parte da viagem oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao país vizinho nesta terça (9), com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, integrando a comitiva e participando das discussões.
“Nós tivemos uma reunião histórica, fizemos o link entre a indústria nacional e a YPFB, que é a indústria de gás da Bolívia, a fim de que a gente possa eliminar a intermediação, diminuir o preço do gás e, consequentemente, aumentar a competitividade da indústria nacional”, afirmou Silveira.
Atualmente, a importação do gás boliviano é realizada por meio da Petrobras, que recentemente aumentou o preço do gás de cozinha em 9,6%. A proposta em negociação visa a compra direta do gás boliviano pela indústria brasileira, sem intermediários, o que resultaria na significativa redução de custos.
A expectativa é que, a partir de outubro, cerca de 6 milhões de metros cúbicos de gás por dia estejam disponíveis para a indústria brasileira. Desses, 4 milhões seriam extraídos diretamente na Bolívia e outros 2 milhões poderiam ser importados da Argentina, utilizando a Bolívia como rota de transporte.
A iniciativa, diz o ministro, faz parte do Programa Gás para Empregar, que visa criar condições para a reindustrialização do Brasil por meio do combustível. A comitiva brasileira incluiu representantes de grandes consumidores, como a indústria química, de vidros, cerâmica e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).
Em abril, Silveira anunciou a criação de um comitê de monitoramento dos projetos de gás natural, com o objetivo de aumentar a oferta do insumo. A reunião entre Lula e o presidente boliviano Luis Arce, marcada para terça-feira (9), deverá abordar investimentos brasileiros na Bolívia como um dos temas principais.
O governo busca acompanhar de perto os projetos de gás, destravando questões de regulamentação e licenciamento ambiental, para aumentar a oferta e baratear o insumo aos consumidores. Entre os projetos em estudo está a produção de gás natural não-convencional no Brasil, que, embora promissor, apresenta alto impacto ambiental.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *