Living

Oriovisto critica urgência na regulamentação da reforma tributária – Gazeta do Povo

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) criticou a velocidade com que a regulamentação da reforma tributária está tramitando na Câmara dos Deputados. A Casa aprovou urgência na votação do projeto de lei complementar 68/24 que define as regras para o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), a Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS) e o Imposto Seletivo (IS).
Receba as principais notícias do Paraná pelo WhatsApp
“Agora, a Câmara está votando de afogadilho. Aqui no Senado, temos que analisar com calma, sem sermos atropelados pelo tratoraço. A previsão é que ainda serão necessários de três a quatro mil regulamentações adicionais”, alertou o senador paranaense durante sessão do Senado nesta quarta-feira (10).
Além do PLP 68/24, a Câmara tem em discussão outro projeto do governo, o PLP 108/24, que estabelece o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) e o funcionamento do Comitê Gestor na reforma tributária. Este projeto, porém, deverá ser votado somente após o recesso.
De acordo com Oriovisto, o sistema tributário ficará ainda mais complexo caso os projetos de lei complementares sejam aprovados. “Nós tínhamos um manicômio tributário e agora teremos dois, e ainda 10 anos para conviver com a transição. Não há simplificação de impostos, não há nada de novo, apenas uma reprodução a nível nacional do que os estados já faziam”, disse.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *