Destaques Especiais

22 de dezembro: o feriado esquecido – Por Rita Vieira

Em 22 de dezembro de 1981 foi assinado o decreto lei número 041 que criou o Estado de Rondônia, essa data foi feriado por muito tempo no jovem Estado, que só tem, agora 39 anos. 22 de dezembro já foi conjunto habitacional, hoje, está no hall dos feridos esquecidos, pois em 2009, atendendo aos pedidos dos comerciantes de Porto Velho, a assembleia legislativa de Rondônia, decidiu que somente se comemoraria como feriado, o dia 04 de janeiro, em que houve a instalação do Estado, em 1982.


A referida data é véspera de Natal, manter o feriado atrapalharia um dia de vendas antes de uma das datas mais lucrativas para o comércio, até aí é entendível, mas, o próprio Estado, não rememora a data, tão importante para sua existência e assim, 22 de dezembro fica na memória dos antigos que o viveram, nos escritos dos historiadores e pesquisadores de áreas afins.

Rondônia foi criada como Estado pelo grande aumento populacional ocorrido no território durante a décadas de 70, proporcionado pelos programas de colonização recente que povoaram o eixo da BR-364 e o garimpo de ouro no Rio Madeira que viveu seu auge no mesmo período, superpopularizando à capital, Porto Velho. Ao criar o Estado, Jorge Teixeira criou ainda novos outros 5 municípios, dentre eles Costa Marques, o povoado em volta do real forte príncipe da beira e as margens do Rio Guaporé também se elevava com o Estado.


Outro ponto importante é ressaltar que o governador que promoveu essa elevação de categoria à Rondônia, o Teixeirão, não foi o único atuante no processo, podemos lembrar e dar honras também ao deputado federal Antônio Morimoto, que sendo também pioneiro, foi autor da proposta 221, que já desejava a elevação e como ele existentem muitos outros e outras, destemidos pioneiros, que trabalharam para que o 22 de dezembro fosse tão importante e emblemático para nossa terra.

Rita Vieira

Formada em História pela Universidade Federal de Rondônia (Unir), professora de História na Escola João Bento da Costa e Medquim Vestibulares, especialista em Segurança Pública e Direitos Humanos, além de estudiosa e pesquisadora da História Regional.

Contato: ritaclaravieira@gmail.com