Cultura Destaques Filmes Movies

Ação em dose dupla – Por Humberto Oliveira

Above

John Wick (Keanu Reeves) ou Robert MaCall (Denzel Washington)? Cada um ao seu modo e estilo, resolve os problemas e enfrentam vilões na porrada e na bala, ou o que mais tiveram ao alcance das mãos. Wick matou usando apenas um lápis. Já MaCall, com seu cool, vai de saca rolhas a um livro. Uma coisa certa, nenhum dos dois brinca em serviço.

Wick é assassino da máfia russa que se aposentou ao encontrar a mulher de sua vida. A felicidade durou pouco. A esposa morre por causa de uma doença grave e ele fica remoendo a saudade da amada, que mudou sua história. Um cachorro presenteado por ela, faz Wick voltar a ter esperança, no entanto, o filho de um.antigo associado o ataca em casa, mata o cão e rouba seu carro. A partir deste ponto os cadáveres vão se amontoando até o confronto final. De volta ao jogo fez sucesso e rendeu, não apenas uma, mas duas sequências.

Robert MaCall, um ex-agente, viúvo, recluso e com TOC, deixou as lutas de lado e trabalha numa grande loja de departamentos. Mas seus reflexos ainda são aguçados e ele está sempre atento. Um dia, ele tem problema para dormir, faz amizade com uma jovem prostituta, que acaba ferozmente espancada por seu cafetão, que pertence a máfia russa. MaCall tentar ajudar a moça de forma pacífica, porém, depois de mandar para o inferno, o cafetão e seus capangas, entra numa guerra com os russos e precisa lidar com um violento faz tudo a soldo do chefão. Com a mesma capacidade de John Wick, Robert MaCall faz justiça e não deixa pedra sobre pedra, não poupa nenhum dos mafiosos, muito menos o chefão que articula seus negócios e assassinos sem sair de sua luxuosa mansão na Rússia.

O capítulo dois de John Wick potencializa a ação do primeiro filme, inclusive com uma montagem excelente. Quanto a o Protetor 2, apesar da presença de Denzel Washington, a continuação perde muito em comparação ao original, infinitamente superior, em todos os sentidos. É divertido, porém, não chega nem perto do primeiro longa. Quem sabe o número três, se for produzido, quem sabe, o diretor consiga fazer melhor ou estrague de vez a franquia.

O final de semana vai ser dedicado aos quatro filmes estrelados por Denzel Washington – O protetor 1 e 2 e Keanu Reeves em John Wick – De volta ao jogo e John Wick – Um novo dia para matar.

Mas como hoje é domingo, 1o de dezembro, data em que o genial Woody Allen comemora 84 anos, também vai sobrar tempo para assistir dois de seus filmes – Você vai conhecer o homem dos seus sonhos e Tudo pode dar certo, ambos ainda inéditos para mim. Parabéns Woody Allen.

Below

Mais sobre o autor

Almanaque | Humberto Oliveira

Almanaque | Humberto Oliveira

Humberto Oliveira nasceu em Fortaleza/Ceará, há 55 anos, mas há mais de 20 é rondoniense de coração. Jornalista formado pela Faro, mas um escrevinhador desde os 13, colecionador de filmes, livros e cds, cinéfilo desde os 5 anos de idade quando foi ao cinema pela primeira vez (o filme Branca de Neve e os 7 anões), no grandioso Cine São Luiz. Fã de Ruy Castro, Nelson Rodrigues, Woody Allen, Martin Scorsese,Nelson Pereira dos Santos, cinema noir e música brasileira. Apaixonado por cinema já ministrou cursos de roteiro e História do cinema. Participou de cinco edições do Fest Cine Amazônia, como assessor de imprensa, duas vezes na seleção de filmes, presidente de júri e jurado. Admirador e conhecedor do dramaturgo Nelson Rodrigues ministrou palestras sobre a vida e a obra deste genial autor. É casado, tem três filhos e escreve poemas em homenagem aos amigos e pessoas que admira. Seu filme predileto é O Poderoso Chefão (a trilogia). Ama filmes clássicos, mas não deixa de assistir a maioria das produções em cartaz. Também aprecia o teatro e um bom papo.