Início Capital ALE aprova obrigatoriedade de ensino da Língua Espanhola na grade do Ensino...

ALE aprova obrigatoriedade de ensino da Língua Espanhola na grade do Ensino Médio

De autoria do deputado Anderson do Singeperon, projeto defende inclusão da disciplina na rede estadual de educação

O Rondoniense ALE aprova obrigatoriedade de ensino da Língua Espanhola na grade do Ensino Médio
O Rondoniense ALE aprova obrigatoriedade de ensino da Língua Espanhola na grade do Ensino Médio

A Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei Ordinária nº 1.064/18, de autoria do deputado Anderson do Singeperon (Pros) que torna obrigatório o ensino da disciplina de Língua Espanhola no currículo do Ensino Médio da rede estadual de educação de Rondônia, ao lado da Língua Inglesa.

Segundo o parlamentar, o projeto é um atendimento à solicitação da Associação de Professores de Espanhol do Estado de Rondônia (Apero), representando professores e alunos de Língua, Cultura e Literatura Espanhola, que apresentou a proposta de inclusão da disciplina no Ensino Médio.

De acordo com a Apero, mesmo após as normas administrativas editadas pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), seria imprescindível a normatização através de lei para regulamentar o que a Lei Federal nº 13.415/17, oportunizou aos estados da federação.

A inclusão da oferta do ensino de Espanhol na Educação Básica, de modo facultativo no Ensino Fundamental e, de modo obrigatório, no Ensino Médio foi resultado de longos anos de debate e tramitação no Congresso Nacional, sendo definitivamente promulgada em 12 de junho de 2005, para ser implementada nas escolas brasileiras até 2010.

O processo de implementação requereu muitos esforços por parte dos gestores e das entidades que, consequentemente, lutavam pelo cumprimento da lei.

Aprender a Língua Espanhola propicia a criação de novas formas de engajamento e participação dos alunos em um mundo social cada vez mais globalizado e plural, em que as fronteiras entre países e interesses pessoais, locais, regionais, nacionais e transnacionais se tornam mais difusas e contraditórias.

“É esse caráter formativo que inscreve a aprendizagem de espanhol em uma perspectiva de educação linguística, consciente e crítica, na qual as dimensões pedagógicas e políticas são intrinsecamente ligadas”, ressalta o deputado.

O parlamentar destaca que o ensino da Língua Espanhola ao aluno de Rondônia é de extrema importância, visto que a América do Sul é formada por nove países que falam o espanhol, um país que fala o francês, um que fala o inglês e o Brasil, que fala o português.

“O espanhol é a língua falada nos países fronteiriços com o Brasil, inclusive com Rondônia. Sua inclusão como obrigatória não implicará em aumento para a folha de pagamento, uma vez que, os professores de espanhol já estão nas escolas”, observa Anderson.

 

ALE/RO – DECOM – Juliana Martins