Connect with us

Hi, what are you looking for?

Cultura

ALÉM DO OSCAR – “Indústria Americana” é melhor do que “Democracia em Vertigem” – Por Marcos Souza

Uma coisa é certa, assisti o documentário “Indústria Americana”, patrocinada pelo casal Barack e Michele Obama, e que acabou ganhando o Oscar de melhor do gênero no ano, passando por cima de “Democracia em Vertigem”. Ele é melhor e coloca discussões sobre como os americanos se sujeitam a um subemprego formalizado pela indústria chinesa, que barateia a mão de obra e exige excelência, não permitindo a criação de nenhum sindicato – eles atrapalham os negócios e geram conflitos entre empregados e patrão.
Notável por ver um país comunista, de diretrizes da indústria de massa ser tão capitalista e centralizadora dos lucros em vista do investimento praticado.
Quem for assistir vai verificar um documentário forte e muito bem realizado, mostrando os conflitos trabalhistas entre chineses e estadunidenses em uma fábrica no distrito de Dayton, em Ohio (EUA), que pertence a um chinês que investiu meio bilhão de dólares numa indústria de vidros automotivos e recontratou antigos funcionários de uma fábrica da General Motors que fechou depois da quebradeira de 2008.
O conflito é gerado quando 200 chineses, que gerenciam o local, tem que ensinar dois mil empregados americanos o estilo de trabalho chinês, dobrando sua hora de trabalho e sem horas extras pagas.
Vai existir momentos de tensão e um rescaldo na salvação da economia do distrito de Dayton com a nova fábrica, que mesmo pagando a metade do valor salarial que a GM pagava antes de fechar é a salvação de milhares de famílias que dependem desse empreendimento.
Não entro em detalhes para não estragar o prazer de acompanhar o andamento da estruturação da fábrica. O mérito dos diretores, o casal Julia Reichert e Steven Bognar é fazer o registro de dois anos – de 2015 a 2017 – desde a inauguração, dos primeiros conflitos entre chineses e americanos, o intercâmbio entre gerentes, a diferença de culturas – tanto sociais quanto trabalhistas – e como isso pode acarretar uma revolução.
É um belo trabalho de pesquisa, registro de fatos e mostra a reestruturação sindical como garantia dos direitos trabalhistas, porém em conflito com os investidores.
O documentário é tecnicamente irrepreensível, tem imagens muito fortes e icônicas entre o poderio capitalista e o socialismo em situações inversas e distintas. Uma ironia que permite você entender as características entre a ambição, o poder e a submissão, com ecos políticos – evidente.
Vale a pena e está disponível na Netflix.
TRAILER:

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...