Connect with us

Olá, tudo bem? O que você está pesquisando?

Esporte

Análise: Flamengo ativa o “modo Libertadores”, e trio ofensivo encaminha a ida para semifinal

Olimpia cai na armadilha de Renato, dá espaço aos atacantes rubro-negros e paga o preço. Paraguaios reclamam sem razão do árbitro e do VAR

Ge

Depois de perder por 4 a 0 para o Internacional no último domingo, o Flamengo voltou a ser o Flamengo de Renato Gaúcho: goleador e envolvente. O trio Arrascaeta/Bruno Henrique e Gabigol decidiu na vitória por 4 a 1 sobre o Olimpia, no Paraguai, e encaminhou a classificação para a semifinal da Libertadores.

Mas não foi o Flamengo quando atua no Brasil. Renato armou o time com um estilo de marcação diferente, sem fazer tanta pressão na saída de bola do adversário. A estratégia funcionou, porque o Olimpia foi à frente e deu os espaços desejados. Aí o trio rubro-negro fez a diferença.

Bruno Henrique contribuiu com sua velocidade e duas ótimas assistências. Arrascaeta mostrou visão de jogo e capacidade de entrar na área para finalizar. Fez um gol e sofreu um pênalti. Gabigol fez o que mais sabe: gols. Um de pênalti, um de perna direita e ainda deu uma assistência para Vitinho.

– A equipe voltou a ser o Flamengo. Foi um acidente de trabalho aquele jogo (contra o Inter). A equipe voltou a jogar muito bem, criar, fazer gols e conseguimos um bom resultado nos primeiros 90 minutos – disse Renato.

Melhores momentos: Olimpia 1 x 4 Flamengo, pelas quartas de final da Libertadores

Melhores momentos: Olimpia 1 x 4 Flamengo, pelas quartas de final da Libertadores

Olimpia se revolta com o VAR. Sem razão

Se o ataque funcionou muito bem – e teve boas chances para ampliar ainda mais a goleada – , o sistema defensivo teve alguns vacilos. No lance do gol do Olimpia, houve uma falha coletiva. No cruzamento para a área, Léo Pereira não escolheu um marcador, Isla ficou com dois atacantes e não conseguiu fazer o corte.

Léo Pereira não define um jogador a marcar; Isla tenta cuidar de dois atacantes — Foto: Reprodução

Léo Pereira não define um jogador a marcar; Isla tenta cuidar de dois atacantes — Foto: Reprodução

Talvez o lance mais emblemático da partida tenha sido a sequência em que Filipe Luís é expulso e o VAR chama para revisão um lance anterior de possível pênalti em Arrascaeta. O árbitro corrige, assinala a penalidade para o Flamengo e anula o vermelho de Filipe Luís. O jogo estava 1 a 0 para o Flamengo e poderia ter mudado de panorama.

Arrascaeta no lance em que o VAR interveio para que o pênalti fosse marcado — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Arrascaeta no lance em que o VAR interveio para que o pênalti fosse marcado — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

No 11 contra 11, a maior qualidade técnica do Flamengo prevaleceu. Depois da partida, o técnico Orteman fez uma espécie de protesto na entrevista coletiva. Respondeu ao primeiro questionamento, criticou muito a arbitragem, pediu desculpas, se levantou e foi embora.

– Fizemos uma boa partida, mas enfrentamos o melhor time da América do Sul nos últimos anos. É difícil jogar contra o melhor, contra o árbitro e contra o VAR. O VAR veio para solucionar os problemas, e não para criá-los. Difícil analisar o jogo. Com respeito, não posso falar o aspecto futebolístico – disse o técnico do Olimpia.

A Voz da Torcida - Arthur: "Agora é só evitar o excesso de treinos até o jogo de volta"

A Voz da Torcida – Arthur: “Agora é só evitar o excesso de treinos até o jogo de volta”

Com 4 a 1 de vantagem, o Flamengo encaminhou a classificação e só precisa atuar com seriedade para confirmar na próxima quarta-feira, em Brasília, a ida para a semifinal.

Ge

Faça um comentário

Você pode gostar

Brasil

    Na minha contínua necessidade de “ler o mundo”, um dos caminhos é a leitura de jornais. Essa “troca de ideias” com pessoas...

Brasil

Em 09 de julho de 2020 o senador Randolfe fez uma live com seus heróis médicos, que salvaram muitas vidas no Amapá usando um...

Contraponto

[Tendo em vista (i) o impacto dos acontecimentos recentes na França e (ii) a profundidade da análise feita por Theodore Dalrymple, peço licença a...

Destaques

Em 13 de setembro de 1943, foi criado o Território Federal do Guaporé, pelo então presidente do Brasil, Getúlio Vargas. A política do Estado...