Connect with us

Hi, what are you looking for?

Esporte

Análise: Flamengo segue manual da preparação perfeita e chega em alta para prova de fogo na Supercopa

Goleada contra o Madureira apresenta repertório de jogadas ofensivas, agressividade e objetividade para encerrar “pré-temporada” de quase um mês visando jogo com o Palmeiras, domingo, em Brasília

Ge

Repertório, objetividade, pontaria e postura agressiva do início ao fim. O futebol não costuma ter muita fórmula de sucesso, mas, se tivesse, o dever de casa do Flamengo no Carioca foi perfeito para chegar voando na Supercopa do Brasil, domingo, diante do Palmeiras, no Mané Garrincha. A partida terá transmissão da Globo, SporTV e ge, às 11h (de Brasília).

Se o 3 a 0 diante do Bangu já apresentou um time avassalador, mas que oscilou na voltagem no decorrer do jogo, não há o que falar do 5 a 1 sobre o Madureira. A performance foi tão alto nível que dá para relevar até o gol de cabeça de Luiz Paulo em desatenção no posicionamento em cobrança de escanteio. O Flamengo amassou o Tricolor Suburbano em Volta Redonda, ao ponto de Felipe Lacerda ter enumerado boas defesas mesmo tendo buscado cinco bolas no fundo do gol.

Flamengo contra o Madureira

  • 73% de posse de bola
  • 27 finalizações (19 só no primeiro tempo)
  • 15 na direção do gol
  • 8 escanteios

 

É importante pontuar que o Madureira estava invicto e briga por uma vaga nas semifinais do Carioca. A ousadia nas saídas em contragolpes mostrou que o time de Alfredo Sampaio não queria ficar só lá atrás se defendendo. Não teve muito jeito, porém, e o que se viu foi um time acuado diante do volume de jogo e repertório ofensivo do Flamengo.

Rogério Ceni na partida do Flamengo contra o Madureira — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Os números apontam 73% de posse de bola, 27 finalizações (19 só no primeiro tempo), 15 na direção do gol e oito escanteios. Some a isso três bolas na trave e um gol mal anulado de Gabriel. Um atropelo do líder do Carioca, que não quis saber de pisar no freio para se poupar visando o Palmeiras.

Muito da força ofensiva se deu pelo posicionamento dos volantes. Diego e Gerson jogavam quase que como meias, e os meias Ribeiro e Arrascaeta como atacantes. Era uma avalanche vermelha e preta para cima do Madureira, que contava ainda com ultrapassagens constantes de Filipe Luís e Isla.

Quando se fala em repertório é preciso exemplificar que o Flamengo criou chances e marcou os gols de todas as formas possíveis: tabelas pelo meio, triangulações, bola parada, cruzamento da direita e cruzamento da esquerda. As duas semanas de pré-temporada parecem ter dado fôlego e confiança para que o time se jogasse de maneira ainda mais contundente ao ataque.

Diego, Gerson e Arrascaeta comemoram gol do Flamengo contra o Madureira — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Outro ponto que chama a atenção é que, mesmo tendo pela frente um rival com as linhas baixas e que diminui os espaços, o time não perde mais tempo rodando a bola. Trata-se de um Flamengo objetivo, que tenta finalizar o quanto antes para levar o adversário ao nocaute.

A prática contra Bangu e Madureira comprovou a teoria do que deveria ser feito visando a Supercopa do Brasil. Resta passar no teste diante do Palmeiras para garantir a nota 10.

Ge

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...