Mundo

Argentina enfrenta epidemia de dengue em simultâneo com crise do coronavírus

Surto da doença no país registra mais casos que a covid-19, com quase 8 mil casos em todo o país, e grande parte deles na região da Grande Buenos Aires

Se não bastasse ter que encarar uma pandemia que avança para ser uma das mais mortais da história do planeta, a Argentina ainda tem que encarar um outro problema de saúde também grave: uma epidemia de dengue no país.

Segundo dados do Ministério da Saúde, entre agosto de 2019 (nos últimos meses do governo de Mauricio Macri) e março de 2020, foram registrados 7,8 mil casos da doença. Ainda assim, alguns especialistas dizem que este número pode ser ainda maior, já que as estatísticas estão afetadas pelo período em que o país ficou sem um Ministério da Saúde. A pasta foi extinta por Macri em setembro de 2018, e só voltou a existir em dezembro de 2019, após a posse de Alberto Fernández.

Quase metade desses casos oficiais de dengue estão na região da Grande Buenos Aires, que tem 3,1 mil doentes. A capital também concentra cerca de 60% dos 2,4 mil casos de covid-19 no país (com 111 mortes).

Mesmo tendo que enfrentar duas preocupantes epidemias simultâneas, o ministro da Saúde argentino, Ginés González García, afirmou que o país está sabendo como lidar com ambas as epidemias.

“Apesar de estarmos no governo há apenas quatro meses, podemos dizer que nossa estrutura tem melhorado. As medidas de isolamento estão ajudando a conter as duas situações, e permitem que nossos hospitais consigam lidar com o número de casos que surgem de ambas as doenças”, comentou o ministro.

Revista Fórum