Interior

Atuação de fonoaudiologia educacional em Vilhena é elogiada por pesquisadora.

Projeto piloto de fonoaudiologia  educacional, nas escolas municipais de Vilhena, surpreende com o levantamento de dados apresentados e recebe elogios de pesquisadora na área. Os elogios vieram após relatórios de atuação e propostas para 2019 serem apresentados pela fonoaudióloga, Rosimar Massaroli,  à equipe da secretaria de educação, em Vilhena, Rondônia, no início da semana.
A iniciativa que busca identificar alterações de fala e problemas respiratórios acontece desde maio de 2018. O setor finalizou o projeto piloto, no último mês, dezembro,  com alcance de 671 alunos, nas 29 escolas da rede. Foram triados alunos desde as séries iniciais, infantil, ao ensino fundamental, com diversos encaminhamentos para fonoaudiólogos clínicos, otorrinos, oftalmos, dentistas e outros.
Um depoimento importante veio de moradora da Capital, a fonoaudióloga Lidiane Tavares que contou que há 08 anos tenta  implantar a fonoaudiologia nas escolas, em Porto Velho. “No ano passado a Fonoaudiologia do Estado teve vitória: foi aprovada uma Lei Estadual para inserir o Fonoaudiólogo na  Educação Infantil e Ensino Fundamental. Temos que ir à luta por essa conquista! Vilhena sai na frente porque acreditou na atuação do fonoaudiólogo na educação”, afirmou Tavares.
Mestranda em educação a pesquisadora e especialista na área revelou que “Rosimar fez capacitação para aprimorar seus conhecimentos e ao ser inserida na Semed, em Vilhena, está fazendo algo inovador. Ela é muito esforçada e dedicada!”, elogiou.
Quem também teceu elogios à atuação da fonoaudióloga Massaroli foi o professor Clésio costa, secretário de educação. Além de afirmar que os relatórios sugerem novos investimentos para o departamento.
“Junto ao Prefeito Eduardo, vamos buscar apoio da atenção básica para ampliarmos nossos atendimentos, e trabalhar para executar novas ações já no início do próximo mês. Identificar e corrigir alterações de fala é necessário para  inibirmos problemas futuros de aprendizagem, na vida de nossos alunos”, concluiu o professor.
NOVAS AÇÕES
Formações já estão previstas para as próximas semanas, com equipe de servidores do setor de transporte e manutenção, da Semed. Além de sugerir novas ações para este ano a fonoaudióloga enfatizou a importância do trabalho realizado.
“O diagnóstico e a intervenção precoce  é fundamental, bem como ministrar formações na área de audiologia ocupacional junto aos  servidores, agendado para a próxima semana, algo crucial para a prevenção das perdas auditivas nos profissionais expostos a ruídos”, contou Massaroli
A fono explicou que o projeto piloto realizado em 2018 serviu de levantamento inicial em busca de implantar um modelo de Resposta à Intervenção (RTI), que consiste na identificação precoce para diagnóstico de transtorno de aprendizagem, dentre eles à exemplo, a dislexia.
Semcom
Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios