Destaques Estilo de vida

Autocuidado para pessoas ansiosas durante a pandemia – Por Estela da Costa

A ansiedade é algo comum, todos nós já passamos por ela em algum momento da vida, quando temos que fazer uma prova, uma entrevista de emprego ou uma viagem ficamos ansiosos.  O nosso organismo é alertado em casos de situações ameaçadoras ou de preservação da vida, a ansiedade vai estimular ações para combater essas ameaças, como a fuga, luta ou proteção. Porém é necessário diferenciar quando ela deixa de ser saudável e se torna patológica, uma vez que há uma preocupação excessiva essa ansiedade, começa a se gerar um sofrimento psíquico e comprometer seu bem-estar.

Conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) o Brasil possui o maior número de casos de ansiedade do mundo. 9,3% da população apresentam Transtorno de Ansiedade (TA).

Devido ao período de isolamento advindo do Coronavírus (COVID-19) as queixas de ansiedade se tornaram mais frequentes. A quantidade de informação veiculada as mídias e redes sociais que esses indivíduos recebem gera uma angústia e desencadeiam vários sintomas ansiosos. Como psicóloga percebo o quanto essas pessoas se sentem mais vulneráveis e as falas que ouço nesse período são […] Sinto falta de ar, tenho crises de choro, taquicardia[…] juntamente com […] tenho insônia, sinto-me presa e com pensamentos negativos que vou ser infectada com o Coronavírus e eu e minha família vamos morrer […]

Conforme o protocolo emitido pela organização Mundial de Saúde (OMS) em evitar sair de casa, somente quando necessário. A orientação do conselho de psicologia é suspensão de atividades presenciais, a não ser em casos emergenciais. E por isso o Conselho Federal de Psicologia (CFP) autoriza o atendimento online, pois o conselho considera que os meios tecnológicos de informação auxiliam para o tratamento do paciente.

Caso não consiga atendimento online indico que o paciente evite parcial ou totalmente o contato com as redes sociais, preservando-se de informações que possam gerar inquietações, preocupações excessivas e sentimentos de incapacidade.

Outra orientação importante que recomendo é técnica de respiração alternada pelas narinas, pois controla as crises ansiosas em um curto espaço de tempo, fazendo com que a pessoa enfrente melhor as situações temidas.

Passo a passo:

  • Sente-se confortavelmente com a coluna reta.
  • Agora, com o polegar direito, pressione a narina direita.
  • Em seguida, inspire o ar através da narina esquerda de maneira profunda até o limite máximo.
  • Segure a respiração para depois pressionar a narina esquerda e expirar pela direita.
  • Repita o processo ao contrário.

Igualmente sugiro a prática meditativa, para reduzir os níveis de ansiedade. Começando através de apreciar sua própria respiração, assim quando sua mente começar a relaxar você deve se reconectar com sua respiração novamente. Nesse momento tente relaxar os ombros e braços, se preferir mantenha os olhos fechados caso não consigo não há problema. Tente fazer por 3 ou 5 minutos de início.

E para aqueles que não conseguem se distanciar das redes sociais, proponho a busca por cursos gratuitos nas plataformas virtuais, focar a mente em novos projetos, se atualizar na sua área ou adquirir novos conhecimentos para outros fins.

Para quem não quer se sentir isolado do contato social, participar de grupos on-line, fazer vídeos chamadas com amigos e jogos on-line.

Estela da Costa CRP 20/10236

Atua como Psicóloga Clínica, ativista na Associação filhas do Boto nunca mais desde 2019 ministrando palestras, mediadora de grupos terapêuticos, participou do projeto “Programa de acompanhamento psicológico à adolescentes que cumprem medida de internação em unidade socioeducativa: Resignificando Experiências”. Graduação em Psicologia pelo Centro Universitário Aparício Carvalho, concluída em dezembro de 2019.