Mundo Saúde

Autoridade em saúde diz que China não ocultou dados sobre o novo coronavírus

A subdiretora da Comissão Nacional de Saúde da China, Zeng Yixin, garantiu nesta sexta-feira que até 19 de janeiro, as autoridades do país não sabiam como era infeccioso o novo coronavírus, em mais uma resposta aos ataques dos Estados Unidos sobre uma suposta ocultação da gravidade da situação.

“Em 19 de janeiro, graças aos esforços conjuntos das equipes de especialistas e dos profissionais locais de saúde, conseguimos alcançar uma compreensão mais precisa da capacidade de transmissão do vírus”, explicou a integrante do governo.

Zeng lembrou que, um dia depois, foi feito um pronunciamento na televisão pública, informando que o novo coronavírus poderia ser transmitido entre humanos, por isso, estava sendo incluídos no sistema de doenças contagiosas nacionais, além de terem sido adotadas medidas mais rígidas de controle de contágio.

A subdiretora da Comissão Nacional de Saúde ainda relatou que em 14 de janeiro, técnicos chineses analisaram a possibilidade de uma propagação em massa, em momento que inúmeras perguntas estavam sem resposta, inclusive sobre a capacidade de transmissão e o modo de infecção.

No mesmo dia, segundo Zeng, explicou que houve uma reunião com os responsáveis da área de Saúde de todas as províncias da China.

Os Estados Unidos, constantemente, fazem acusações contra o país asiático, sobre a origem do novo coronavírus, com denúncias de que teria sido feito em laboratório, e também sobre a ocultação da gravidade do problema por parte do governo chinês.

Ontem, o presidente americano, Donald Trump afirmou, durante entrevista à emissora americana “Fox”, que não tem interesse em conversar com o chefe de governo da China, Xi Jinping, e ainda afirmou que Washington pode romper relações com Pequim.

Por EFE

Tags