Connect with us

Hi, what are you looking for?

Rondônia

Biblioteca oferecerá aulas de mobilidade a deficientes visuais

Desde o ano de 2018, a Secretaria Municipal de Educação (Semed,) através da Biblioteca Municipal Francisco Meirelles e em parceira com a Associação dos Deficientes Visuais do Estado de Rondônia (Asdevron), desenvolve o “Projeto de Olho na Inclusão”, que visa atender pessoas com deficiência visual, através de aulas de Braille.

A partir deste ano, a Sala de Braile oferecerá aulas e oficinas de Orientação e Mobilidade – OM, após perceber que pessoas com deficiência visual frequentam a sala, em sua maioria não fazem uso das técnicas de Orientação e Mobilidade. E, são vários os motivos como: falta de conhecimento, falta de confiança e falta de estímulo, além de que grande parte das pessoas que enxergam não sabem como oferecer ajuda e nem como auxiliar uma pessoa com deficiência visual de forma adequada e confortável para ambos.

A autonomia é uma das principais dificuldades das pessoas com deficiência visual pois, elas precisam de autoconfiança como também da confiança de seus familiares que muitas vezes desenvolvem superproteção.

A orientação é definida como o processo cognitivo que permite estabelecer e atualizar a posição que se ocupa no espaço por meio da informação sensorial, enquanto a mobilidade, em sentido amplo, é a capacidade de deslocar-se de um lugar para outro, através da Orientação e Mobilidade – OM, que são técnicas que ajudam as pessoas com deficiência visual a se locomoverem com autonomia e independência de forma segura e adequada em ambientes internos e externos, utilizando a bengala longa, a autoproteção, guia vidente e os sentidos remanescentes (visão residual, audição e olfato).

As aulas e oficinas de Orientação e Mobilidade visam desenvolver essas técnicas para as pessoas com deficiência visual, seus familiares e a comunidade em geral. “A importância e o compromisso do projeto realizado na Biblioteca Francisco Meireles, tem por objetivo promover a autoestima, a inclusão social e a acessibilidade aos deficientes visuais”, explicou Márcio Félix, secretário municipal da Educação.

Para Karen Rak, diretora da Biblioteca Francisco Meireles, “é uma forma de incentivar as famílias, promovendo o hábito de viajar pela leitura, formando os futuros leitores portovelhenses”.

As inscrições podem ser feitas na Biblioteca Municipal Francisco Meirelles, de segunda a sexta feira das 8h às 18h ou no telefone 3901-3030 – Falar com as professoras Elani Lacerda ou Sebastiana Santana.

Comdecom

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...