Brasil

BNDES simplifica acesso à informação sobre seus principais clientes

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deixou mais acessível a lista com os 50 maiores tomadores de recursos da instituição financeira nos últimos 15 anos. A partir de hoje (18), durante toda a navegação no site da instituição financeira, um banner no canto superior esquerdo estará disponível para conduzir os interessados a uma página que reúne essas informações.

Os infográficos permitem ainda filtrar a pesquisa por período de tempo, considerando os últimos cinco triênios. Também é possível listar todas as operações que foram realizadas com cada um dos clientes nos últimos 15 anos.

Embora estejam mais destacados e melhor organizados, os dados não estão sendo divulgados de forma inédita. Eles já estavam disponíveis no site da instituição financeira. “Anteriormente, para chegar a esse tipo de resultado, era necessário buscar por informações em diferentes páginas e, às vezes, por diferentes linhas de financiamento”, explicou o BNDES em nota.

Fundado em 1952, o BNDES é vinculado ao governo federal e gere recursos públicos oferecendo condições mais favoráveis para concessão de financiamentos e empréstimos, com intuito de estimular setores considerados estratégicos pelo Estado. Os tomadores de recursos podem ser tanto empresas públicas e privadas, como governos estaduais e prefeituras.

A nova página criada pela instituição financeira mostra que, de 2004 a 2018, os 50 maiores clientes do banco receberam R$ 482,8 bilhões em empréstimos. Nesse período, os cinco maiores tomadores de recursos foram Petrobras, Embraer, Norte Energia, Vale e Odebrecht, nesta ordem. Considerando apenas o último triênio, de 2016 a 2018, a Embraer lidera a lista, seguida de Xingu Rio Transmissora de Energia, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Fibria Celulose e Belo Monte Transmissora de Energia.

Dados

Na nota divulgada em seu site, o BNDES reconhece que, apesar da variedade de informação fornecida nos últimos três anos, há uma percepção de que os dados frequentemente estão disponíveis de uma maneira difícil para a maioria das pessoas. A instituição explica que a nova organização das informações “é parte do esforço de transparência que o banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre”.

A nota destaca ainda que também foi facilitado o acesso a dados dos financiamentos de exportações de engenharia brasileira para obras no exterior, que são realizados pelo banco desde 1998. Os interessados poderão baixar todos os contratos firmados relacionados com esses projetos que envolveram Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador, Gana, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Paraguai, Peru, República Dominicana e Venezuela.

Campanha

No ano passado, durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro fez diversas publicações nas suas redes sociais prometendo abrir a “caixa-preta” do BNDES. Embora os dados divulgados não sejam inéditos, ele usou novamente a internet nesta madrugada (18) para anunciar o aumento da transparência. “Ainda vamos bem mais a fundo! BNDES divulga interessante link identificando os países que usaram os recursos financeiros do Brasil e os motivos dos empréstimos. Tire suas conclusões”, postou.

No dia 7 de janeiro, Bolsonaro empossou o economista Joaquim Levy na presidência do BNDES. Ao assumir a função, ele afirmou que iria combater o patrimonialismo e as distorções já verificadas na instituição.

Por Léo Rodrigues – Repórter da Agência Brasil

Comentários
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar