Brasil

Bolsonaro usa Abin e Exército pra fazer dossiê contra equipe de Mandetta

Agentes buscam irregularidades em contratos assinados recentemente pelo Ministério da Saúde com empresas prestadoras de serviço

Em nova investida contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o presidente Jair Bolsonaro ordenou o Comitê de Crise do Planalto, formado por militares do Exército e espiões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a revirar dezenas de contratos assinados recentemente pelo Ministério da Saúde com empresas prestadoras de serviço.

O objetivo, portanto, é buscar irregularidades na pasta comandada por Mandetta, ministro que tem enfrentado inúmeros embates com Bolsonaro desde o início da crise do coronavírus. Contudo, o governo tem dito que a operação serve apenas verificar se os contratos estão em sintonia com as diretrizes e estratégias de combate à doença.

De acordo com reportagem da revista Veja, a operação tem como alvo dois ex-deputados do DEM, ambos amigos de Mandetta: José Carlos Aleluia e Abelardo Lupion.

Os agentes do Gabinete de Crise investigam pagamentos suspeitos, possíveis contratos que foram firmados com empresas que não existem, além de liberação de recursos para prefeituras e cobrança de comissões.

As investigações contra os ex-deputados já estavam em andamento no ano passado, mas receberam atenção especial com a crise do coronavírus.

Revista Fórum