Comentando Notícia | Marcos Souza

Marcos Souza Gomes, paulista, nascido em Ipaussu (SP), foi criado quase que a vida inteira em Porto Velho (RO), é formado em Comunicação Social, Jornalismo, pela Faro – da primeira turma do Estado de Rondônia. Iniciou como revisor do Jornal Alto Madeira, em 1992, e depois passou a ser repórter do segmento cultural do matutino e em 1996 foi editor do Caderno Dois. Logo que se formou, em 2005, junto com mais três amigos de faculdade fundou o portal de notícias Rondoniaovivo, onde permaneceu até 2015. Especialista em cultura pop, crítico de cinema, atuante nas redes sociais, hoje trabalha como produtor de reportagem na SIC TV Record RO e é editor de matérias do site O Rondoniense.
Saúde

BOTULISMO – Família do interior de RO segue internada em UTI em Hospital de Cacoal

No dia 10 de fevereiro um churrasco em família em São Miguel do Guaporé terminou de forma inesperada e grave. Segundo a gerente técnica da Vigilância Epidemiológica da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Arlete Baldez, das pessoas expostas à alimentação, cinco apresentaram quadro clínico compatível com botulismo e foram internadas no Hospital de Urgência e Emergência Regional em Cacoal. Três delas ainda estão na UTI respirando com ajuda de aparelhos, outra está na enfermaria e uma recebeu alta.

‘‘Foram coletadas amostras de sangue das cinco pessoas. O material foi encaminhado para a referência que é o Instituto Adolfo Lutz [em São Paulo] e em quatro o resultado deu positivo e um negativo, que foi o último caso que apresentou sintomas dois dias depois daquele almoço, mas foi confirmado por critério clinico epidemiológico, pois foi exposto a mesma alimentação, teve os mesmos sintomas graves, foi intubado, foi para o respirador, então concluímos cinco casos’’, afirma a gerente.

O caso foi acompanhado pela Vigilância Estadual que desencadeou em investigação minuciosa para identificar o alimento contaminado. ‘‘Nós tivemos duas coletas de alimento. Esse almoço aconteceu no domingo e na segunda-feira pela manhã a equipe de Vigilância Sanitária de São Miguel do Guaporé coletou várias amostras. Na terça-feira chegou a Vigilância Estadual e coletou o que ainda restava de alimentos que foram servidos naquele almoço’’, conta Arlete.

Esse material também foi encaminhado para a referência, Instituto Adolfo Lutz, mas o laboratório não conseguiu isolar a toxina ou a bactéria de nenhum dos alimentos que foram coletados.

Para ela, essa situação explica a gravidade da manifestação dos sintomas. ‘‘Os cinco casos foram internados, foram para UTI, foram para o respirador. Nós relutamos muito em encerrar esse caso, mas não existe outra chance de fazer qualquer análise dos alimentos. Todas as análises foram feitas e não se conseguiu identificar a causa da contaminação em nenhum dos alimentos que foram servidos. Então o caso foi confirmado como botulismo e com entendimento de que a parte que estava contaminada foi consumida pelas pessoas’’, explica a gerente.

PREVENÇÃO

Segundo o Ministério da Saúde, as principais formas de prevenir o botulismo são:

– Evitar a ingestão de alimentos em conserva que estiverem em latas estufadas, vidros embaçados, embalagens danificadas ou com alterações no cheiro e no aspecto.

– Lave sempre as mãos.

– O preparo de conservas caseiras deve obedecer rigorosamente aos cuidados de higiene.

– Produtos industrializados e conservas caseiras que não ofereçam segurança devem ser fervidos ou cozidos por pelo menos 15 minutos antes de serem consumidos. Altas temperaturas podem eliminar as toxinas do botulismo.

– Não conserve alimentos a uma temperatura acima de 15ºC.

– O mel é um dos alimentos mais perigosos se for mal conservado. Nunca dê mel para uma criança com menos de um ano de idade.

Comentários

Via
O Rondoniense (Com informações da Secom RO)
Fonte
O Rondoniense
Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios