O Rondoniense
Brasil Saúde

Brasil é um dos países que menos fez testes para coronavírus; veja ranking

A medical technologist tests a respiratory panel at Northwell Health Labs, where the same test will be used on the COVID-19, the disease caused by the novel coronavirus, after being authorized to begin semi-automated testing by the US Food and Drug Administration (FDA) in Lake Success, New York, U.S., March 11, 2020. REUTERS/Shannon Stapleton

Coreia do Sul, Alemanha e Rússia são os países que mais aplicaram testes para o novo coronavírus até agora. A aplicação de mais exames têm sido defendida por especialistas como uma forma de enxergar melhor a real quantidade de infectados e, portanto, de entender o cenário de evolução da doença no mundo. Com mais testes, pode haver mais casos confirmados, mas a taxa de letalidade cai.

O site ourworldindata.org, feito por pesquisadores da Universidade de Oxford, compilou informações sobre o número de testes aplicados para o COVID-19, e compararam esses dados com o número de casos confirmados. As informações, coletadas de diferentes fontes de informação, são de 20 de março.

Veja o gráfico produzido pelos pesquisadores. Quanto mais para cima no gráfico, mais exames feitos. Quanto mais à direita, maior o número de casos confirmados até o dia 20 de março.

Os números confirmam a ideia de que, quanto mais testes, maior deve ser o número de casos confirmados. “há uma correlação positiva entre esses dados”, escreveram.

A Coreia do Sul é, de longe, o país com mais testes feitos – 316,6 mil, quase o dobro do segundo país na lista, a Alemanha, com 167 mil. O Brasil aparece na lista com menos de 3 mil exames feitos, um dos piores no mundo – o governo federal vinha defendendo a ideia de que não haveria possibilidade de testar todas as pessoas.

Por esse motivo, os pesquisadores entendem que a Coreia do Sul pode ser um bom termômetro para entender como a doença se espalha de forma mais perto do real. Um dos sinais positivos nos dados é que o país vem registrando menos novos episódios a cada dia.

O gráfico acima aponta que, em 1 de março, houve um pico de novos casos confirmados naquele país – 909, mas o número, desde então, vem caindo. Em 22 de março, foram 98 novos casos, menor quantidade desde o dia 21 de fevereiro, com tendência de cair ainda mais.

Nesta semana o Brasil deverá receber 5 milhões de novos testes rápidos para o novo coronavírus, segundo o Ministério da Saúde, podendo testar também os casos menos graves. A ideia é chegar a 10 milhões de testes.

Fonte: CNN BRASIL

Below