CapitalRondônia

Campanha de imunização chega na Secretaria de Segurança Pública em Rondônia

A equipe de saúde da Coordenadoria da Polícia Militar está imunizando todos os servidores da capital. A campanha começou no último dia 21 e segue até 9 de julho. A primeira unidade a receber o antivírus foi o quartel do Comando Geral da Polícia Militar de Rondônia.

O diferencial é o deslocamento da equipe móvel até os locais de trabalho dos profissionais da Segurança Pública. A tenente coronel PM, assistente social e coordenadora da campanha, Eliane Gomes da Silva, fala sobre os surtos das doenças que assolam a sociedade. “O surto só acontece porque ainda existem àqueles que ignoram a campanha de vacinação. As pessoas precisam entender que a melhor solução é a prevenção. Então a orientação na hora de receber a vacina é relaxar o braço para que o atendimento seja feito de maneira rápida e indolor, garantindo assim a proteção,” explica Eliane.

Cerca de 200 pessoas foram atendidas nesta segunda-feira (27) na Secretaria de Segurança Pública (Sesdec). As vacinas disponibilizadas são: H1N1, hepatite B, febre amarela, tríplice e tétano. O trabalho é feito em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) que fornece o material.

O último boletim de influenza do Ministério da Saúde aponta que, até 14 de maio de 2018, foram registrados 1.326 casos em todo o país, com 214 óbitos. Do total, 795 casos e 128 óbitos foram por H1N1.

Outra preocupação é com a hepatite B, que aparece dentro de um a seis meses após a contaminação. Os principais sintomas são: cansaço, tontura,  febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura, fezes claras, enjoo ou vômitos.

Tenente coronel PM, assistente social e coordenadora da campanha, Eliane Gomes da Silva.

O Ministério da Saúde alerta sobre a febre amarela. Regiões silvestres são as mais suscetíveis à doença. O mosquito do gênero Haemagogus e Sabethes existem em ambientes de mata.

A vacina contra o tétano está disponível em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Ferimentos acidentais com objetos cortantes, como por exemplo, pisar em cima de um prego pode infectar a vítima. O esquema vacinal completo recomendado pelo Ministério da Saúde é de 3 doses administradas no primeiro ano de vida com reforços aos 15 meses e 4 anos de idade. A partir dessa idade, a dose deve ser a cada dez anos após a última aplicação administrada.

“Em caso  de  ferimentos  graves ou gestação, deve-se antecipar o reforço caso a  última  dose  tenha  sido  há mais  de  5 anos,” esclareceu a assistente social.

No próximo dia 28 de junho a Casa Militar localizada dentro do Complexo Rio Madeira receberá imunização.

Comentários

Fonte
Texto: Léia CastroFotos: Daniel Garcia/Léia CastroSecom - Governo de Rondônia
Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios