Início Interior Casamento comunitário de cartório com 120 casais contou com apoio da Prefeitura

Casamento comunitário de cartório com 120 casais contou com apoio da Prefeitura

Município, cartório e Justiça ofereceram condições para baratear os enlaces matrimoniais

Casamento comunitário de cartório com 120 casais contou com apoio da Prefeitura ORondoniense
Casamento comunitário de cartório com 120 casais contou com apoio da Prefeitura ORondoniense

A chuva não desanimou nenhum dos mais de 120 casais que resolveram celebrar sua união no 1° Casamento Comunitário Coletivo Gratuito do Cartório do Dr. Jefferson em parceria com a Prefeitura de Vilhena e o poder judiciário. Realizado neste fim de semana, o evento lotou o ginásio de esportes municipal e deu a oportunidade a todos de realizar o enlace matrimonial com economia.

O evento ofereceu aos casais ornamentação, salão de festas, decoração floral, marcha nupcial, bolo de casamento e painel para as fotos. Era necessário apenas ter feito um simples cadastro para se beneficiar da iniciativa.

O prefeito Eduardo Japonês, casado há vários anos esteve no evento e ficou feliz em participar de momentos tão especiais para todos aqueles casais. “Foi emocionante ver tantas histórias bonitas sendo oficializadas de uma só vez. Uma experiência realmente única. Parabéns a todos que têm a coragem e a vontade de amar de ‘papel passado””, brincou.

A secretária de Assistência Social, Patrícia da Glória, também participou da cerimônia e agradeceu aos casais que confiaram à organização do evento este momento tão importante para cada um. “A Semas ampliou suas ações neste semestre e temos a grata satisfação de ver no rosto das pessoas os benefícios que estamos dando a eles”, garantiu.

O Poder Judiciário, juntamente com o 1º Registro Civil e Tabelionato de Notas de Vilhena – Cartório do Dr. Jefferson Flores abriram as inscrições ainda em julho deste ano e fizeram campanha para que todos regularizassem seu registro. O juiz de direito Andresson Cavalcante Fecury, representante do Tribunal de Justiça do Estado, revelou que o projeto começou em 2017 por iniciativa da Delegatária do 2º Ofício, Marcia Faccin.

A intenção do projeto foi dar condições a principalmente quem já vivia há muito tempo sob o mesmo teto mas não havia oficializado a celebração.

Semcom