Rondônia Saúde

Caso de coronavírus é descartado em Rondônia e comitê de enfrentamento à doença

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e a Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) informam que as amostras coletadas de um casal que mora em Porto Velho tiveram o resultado negativo para o coronavírus e positivo para influenza B.

O casal, que estava com suspeita de coronavírus, teve as amostras coletadas e enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro, que tem laboratório de referência e responsável por testes específicos para detecção do vírus, conforme protocolo do Ministério da Saúde em casos suspeitos da doença.

Apensar do resultado negativo para o coronavírus, o Estado continua vigilante. Na última quinta-feira (6), o secretário de Saúde, Fernando Máximo, participou da reunião sobre o coronavírus com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, na Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, em Brasília. “Estamos estudando a fundo, acompanhando de perto as medidas tomadas, os resultados obtidos nos lugares afetados e planejando todas as estratégias. Graças a Deus, nenhum caso foi confirmado em Rondônia, e nem no restante do Brasil, mas estamos trabalhando na prevenção”, disse Fernando Máximo.

O Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus em Rondônia, que se encontra sob coordenação da Agevisa e Sesau, orientado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde – Cievs/Agevisa, está atento às situações suspeitas.

PREVENÇÃO

Com tosse, febre ou contato com alguém que esteve na China recentemente e está apresentando sinais suspeitos ou já confirmados do coronavírus:

Evitar contato com outras pessoas

Evitar compartilhar talheres, copos, garrafas e escova de dente

Evitar tossir perto das pessoas, utilizar lenço no rosto ao espirrar e tossir

Lavar as mãos muitas vezes por dia

Usar máscara para evitar disseminar partículas e gotículas de saliva

Evitar colocar a mão na boca, olhos e nariz

Manter as janelas abertas e lugares arejados

Evitar aglomerados de pessoas

Cozinhar ou fritar bem as carnes e ovos

Caso apresente os sintomas, principalmente se a pessoa tiver tido contato com alguém que esteve recentemente na China, o fluxo de atendimentos para quem têm suspeitas é procurar unidades básicas de saúde ou as Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s).

Dúvidas e orientações podem ser sanadas por meio Cievs, com atendimento gratuito por técnicos durante 24 horas no 0800-642-5398.


Fonte
Texto: Sângela Oliveira
Fotos: Ítalo Ricardo e Daiane Mendonça
Secom – Governo de Rondônia