Destaques

Cemetron suspende atendimento a pacientes devido o acúmulo de lixo hospitalar na unidade

Divulgação

O Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), encaminhou um Memorando Circular ao secretário de Estado de Saúde, Fernando Máximo, informando a suspensão de transferência de pacientes para a unidade.

De acordo com o documento, a decisão foi tomada pela falta do serviço da coleta de lixo infectante, que foi suspenso devido a não renovação do contrato com a  empresa Amazonfort na última terça-feira (24).

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), confirmou a informação e disse que todos os pacientes estão sendo encaminhados para o Hospital de Campanha do Estado. A secretaria ainda informou que propôs a renovação do contrato até o dia 31 de dezembro deste ano, mas a empresa não concordou.

A Sesau fundamentou que  está empenhada para resolver o problema e está trabalhando para que seja concluído o mais rápido possível o contrato com a empresa que irá prestar os serviços de lixo hospitalar.

O Cemetron possui 32 leitos, entre clínicos e UTI, todos atualmente destinados para o atendimento de pacientes infectados por COVID-19.

Lixo Hospitalar

Na terça-feira (24), servidores da saúde denunciaram através das redes sociais a falta de coleta de lixo hospitalar nas unidades de saúde do estado, entre elas está o Cemetron.

Além do Cemetron, está o Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, João Paulo II, Cosme e Damião e dos hospitais da rede estadual do interior.

Com a suspensão do contrato com a empresa, os servidores da saúde improvisaram o armazenamento do lixo dos hospitais usando várias caixas de papelão para descartar seringas, faixas, frascos de medicamentos e luvas.