Mundo

Cesare Battisti reconhece pela 1ª vez autoria de quatro homicídios na Itália

O ex-ativista de esquerda italiano Cesare Battisti, que ficou 40 anos foragido, admitiu que é responsável por quatro assassinatos cometidos nos anos 1970, além de ter ferido gravemente 3 pessoas e ter praticado uma quantidade de roubos para autofinanciar-se, informa a imprensa italiana nesta segunda-feira, 25.

As declarações foram confirmadas pelo procurador Francesco Greco em entrevista coletiva, segundo o jornal Corriere della Sera. “Com essa admissão, ele esclarece muitas polêmicas, rende honras às forças de ordem e à magistratura de Milão e reconhece que atuou neste anos de maneira brutal”, completou Greco.

De acordo com o procurador antiterrorismo Alberto Nobili, Battisti, de 64 anos, afirmou que “fala (apenas) do que é responsável e não falará (dos possíveis crimes) de mais ninguém”. Battisti foi preso na Bolívia e desembarcou em Roma em 14 de janeiro

“Tenho noção do mal que fiz e peço desculpas aos parentes (das vítimas)”, disse Battisti no interrogatório.

Até então, ex-ativista de esquerda italiano negava as acusações de ser o responsável pelas mortes e por ter ferido outras três nos anos 1970; ele pediu desculpas paras as famílias, mas disse que na época acreditava agir corretamente

Na Itália, foi o primeiro condenado por participação em bando armado e ocultação de armas a 12 anos e 10 meses de prisão em 1981. Mais de uma década depois, em 1993, teve a prisão perpétua decretada pela Justiça de Milão, em razão de quatro homicídios hediondos.
Após idas e vindas por França e México entre 1981 e 2004, Cesare Battisti chegou ao Brasil e foi preso em 2007. No último dia de seu segundo mandato, no entanto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu asilo político para o italiano e impediu sua extradição.
Depois de ter a liminar de garantia no Brasil suspensa, Battisti chegou a ficar foragido no final do ano passado quando o então presidente Michel Temer autorizou sua extradição para a Itália.

Cesare Battisti na época em que cometeu os seus crimes na Itália.

-Fonte: Estadão

Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios