Rondônia

Civil tenda prender integrantes de facção que usa drones para jogar drogas e celulares em presídios de Rondônia

Drone com celular e maconha é abatido em presídio de Ji-Paraná — Foto: WhatsApp/Reprodução

A Polícia Civil deflagrou uma operação, na manhã desta quarta-feira (18), para prender seis integrantes de uma facção criminosa em Ji-Paraná. Segundo investigação, os suspeitos são investigados por usarem drones para lançarem celulares e drogas em presídios.

Ao todo, a Civil cumpre nove mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária através da Operação Drone.

A 1ª Delegacia de Ji-Paraná (Núcleo de Roubos) diz que o grupo alvo da operação também é suspeito de organização criminosa, tráfico de drogas, lavagem de capitais e outros delitos.

Além das buscas e prisões temporárias, a Justiça autorizou o sequestro de valores em disponibilidade dos líderes do grupo, de até R$ 200 mil.

Segundo a polícia, a investigação começou a partir de informações de que esse grupo criminoso estaria buscando formas de lançar drogas e celulares com Drones dentro da unidade prisional. Foram registradas duas tentativas falhas.

Em uma das ações do grupo, o drone foi abatido pelos policiais penais de Ji-Paraná, em julho deste ano.

O que mais se sabre sobre a operação Drone:

  • Dois dos alvos investigados são conhecidos no meio policial como chefes/líderes de uma das facções criminosas que agem na região de Ji-Paraná;
  • São 11 investigados por tentarem jogar drogas no presídio Agenor Martins de Carvalho;
  • A ORCRIM, que é investigada, é um braço de uma facção nacional, que tem atuado no município de Ji-Paraná tanto nas ruas, com roubos e tráfico de drogas;

G1/RO