Brasil politica

Com coronavírus, Alcolumbre passa a madrugada internado em hospital de Brasília

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), 42, passou a madrugada desta quinta-feira (19) internado na unidade do Hospital Sírio-Libanês em Brasília. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa de Alcolumbre.

Segundo a assessoria da presidência do Senado, Alcolumbre realizou uma tomografia para acompanhar a evolução do coronavírus, confirmado um dia antes em exame.

Por recomendação médica, ainda segundo a assessoria, o senador ficou em observação no local e recebeu alta na manhã desta quinta-feira (19). “O presidente do Senado permanecerá em casa, em isolamento, de acordo com as orientações médicas”, completa a nota do Senado.

Segundo pessoas próximas ao senador, na noite de quarta, ele começou a ter dificuldade para respirar e foi aconselhado por seu médico a ir ao hospital fazer uma tomografia do pulmão. Diante do resultado do exame, ficou internado para observação.

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), 58, que, assim como Alcolumbre, está com coronavírus, também está internado no mesmo hospital, segundo sua assessoria.

Alcolumbre havia feito um teste na semana passada com resultado negativo. Acometido de um resfriado que piorou ao longo desta semana, o presidente do Senado refez o teste na noite de terça-feira (17). Na quarta, o resultado positivo para a Covid-19 foi divulgado pela assessoria de imprensa do senador.

Na segunda-feira (16), Alcolumbre participou de uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, outros cinco ministros da corte —Luiz Fux, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Luís Roberto Barroso—, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o advogado-geral da União, André Mendonça.

Ele havia feito o primeiro teste na noite de quinta-feira passada (12) porque havia tido contato, ao longo da semana, com mais de 20 ministros, parlamentares e assessores que estiveram com o presidente Jair Bolsonaro em viagem aos Estados Unidos, no início de março —19 integrantes da comitiva já foram diagnosticados com a Covid-19.

O presidente da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações‎
), Sergio Segovia, é o mais recente integrante da comitiva presidencial que foi à Flórida a ter a confirmação de que foi infectado.

Segovia realizou um primeiro exame na sexta-feira (13), que não detectou o vírus. Seguindo o protocolo, ele fez uma segunda análise na quarta (18), que confirmou a infecção.

Apesar de ter feito parte da missão que acompanhou Bolsonaro aos Estados Unidos, Segovia não viajou com o mandatário no avião presidencial.

O senador Nelsinho Trad, presidente da Comissão de Relações Exteriores, também teve resultado positivo em seu exame. Trad havia participado de reunião em sala fechada com a maioria dos líderes partidários da Câmara e do Senado, além de Alcolumbre e do presidente da Câmara.

Também participaram os ministros Paulo Guedes (Economia), Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e o presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto (Banco Central).

Na quinta passada, Alcolumbre viajou para o Amazonas com seis senadores e 11 deputados, além de assessores uma delas apresenta sintomas de um forte resfriado.