Cultura Rondônia

CONFISSÕES DE LOLITA – Pausas

Estamos atravessando um período tenso da História mundial.
Assim como a peste negra, gripe espanhola, as duas Grandes Guerras. Momentos ímpares que nos trazem reflexões sobre o planeta em que vivemos.
É um momento de pausas. E parar no atual contexto mundial é desesperador, visto que as economias, as cidades, as pessoas não podem parar.
As informações nos chegam rápido, e a atualização das mesmas nos chegam como um turbilhão de emoções. É difícil parar quando somos estimulados a não ter mais parada certa.
Passada a infância, pausar é quase um crime, pois correr é a fonte de toda a economia e onde, estar parado é sinônimo de fracasso.
A vida é um constante correr: acorda, trabalha, cuida-se dos seus, ama-se ás pressas, perde-se o brio. Esta correria nos paralisa quando não superamos as nossas e as vossas expectativas, visto o surgimento de tantas síndromes e depressão.
Agora, nos pedem calma.
É um grande filme rodado no grande cinema que é o Planeta Terra , agora, simplesmente parado! Ruas, shoppings, escolas, turismo,  grandes estradas, aeroportos, tudo, tudo em pausa.
A vida pede calma. A fauna, a flora, a atmosfera. Adoecemos a Humanidade, onde o importante não é ser; é ter. Se olharmos ao nosso redor com carinho, podemos perceber como precisamos cuidar de nosso interior, de como tratamos as pessoas e como nos relacionamos com elas. Ou não. É o momento de sentir saudade, de se perguntar porque parou-se de amar, de observar.
Reaprender a olhar o outro, e não apenas ignorar. Esta pausa, é sim, momento de reflexão.
Tenho visto em tantas redes, tantos anônimos, gestos de solidariedade com que passa por momentos difíceis frente a esta pandemia de Covid – 19. Notícias sobre músicos e artistas entretendo quem está em isolamento social e têm vivido momentos de ansiedade, presos em seu próprio lar.
O mundo vê, agora, a importância de parar, de se importar, de amar e se importar com quem se quer por perto, ou simplesmente se preocupar com tantas mortes planeta afora.
É hora de internalizar a melhora de atitudes, de zelo, de carinho e de paciência, pois somos acometidos pela falta da mesma.
Que possamos, ao fim de tudo isto, comemorar uma vitória pessoal interna, e não somente para que outros vejam.
Abrace seu filho, ligue para aquele amigo que você ama e não tem tido tempo, faça uma chamada de vídeo com os avós ou idosos que conheça, ore independente da religião, dance e vibre coisas positivas, porque o universo percebe.
Utilize esta pausa para ser positivo. Doe algo, pois há tantos em nada na sociedade que não pára nunca. Desentulhe sua casa, pois uma casa sem entulho é um lar sempre aconchegante para você e sua alma. Corra da maldade das notícias falsas, pois elas  envenenam gente boa e aumenta o caos.
Seja consciente, pois sua saúde e dos seus é importante para que possamos voltar á nossa rotina tão desejada.
Use sua ansiedade para o bem, pois ao fim desta pausa, estaremos todos lutando para o retorno á normalidade. E que esta, seja agora, positiva e vibre amor.
Pois, acredite. Ainda precisamos de amor.
Confissões de Lolita – Pseudônimo de uma poetisa que utiliza das palavras os meios para expressar o que absorve do meio social. Exprime em versos cenas cotidianas que vê de outrem sobre as frustrações do mundo cibernético e moderno.