Connect with us

Hi, what are you looking for?

Destaques

CONTEÚDOS INAPROPRIADOS – SEDUC diz que memorando foi um rascunho, porém áudios desmentem

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) ordenou nesta quinta-feira (06), através de um memorando às Coordenadorias Regionais de Educação (CRE) do Estado de Rondônia, o recolhimento imediato de alguns livros que estão relacionados em uma lista específica dispostos no Adendo ID (1005332).

Conforme consta no Memorando-Circular nº 4/2020/SEDUC-DGE, as escolas deveriam proceder “com o recolhimento dos mesmos imediatamente, tendo em vista conterem conteúdos inadequados às crianças e adolescentes”. Já na relação de livros, foram selecionados 43 obras literárias, com uma observação abaixo: “Todos os livros do Rubem Alves devem ser recolhidos.

Ao se tornar público, a imprensa local solicitou explicações ao Secretário Estadual de Educação Suammy Vivecananda Lacerda de Abreu, que imediatamente negou as informações, por telefone. O portal ORondoniense entrou em contato com a assessoria de comunicação da pasta e não obteve resposta, porém fotos e vídeos (abaixo), na tarde desta quinta-feira(06), já circulavam nas redes, corroborando as informações recebidas pela imprensa nas redes sociais.

Ao se tornar oficialmente negada a existência do documento, pela Seduc, ORondoniense solicitou cópia integral do processo para saber a veracidade do assunto. O memorando em questão teve seu conteúdo restrito após a tentativa de acesso dos veículos de comunicação.

MENTE E DESMENTE – Seduc precisa se retratar

Após o escândalo nacional em relação a um documento expedido pela Seduc que determinava o recolhimento de 43 livros, a pasta teve que admitir que o documento existia, porém, numa segunda versão, não havia sido expedido para órgãos externos, conforme as informações da assessoria na noite de ontem:

“A Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (Seduc/RO) esclarece que recebeu uma denúncia que nas bibliotecas das escolas estaduais havia livros paradidáticos com conteúdos inapropriados para o público alvo, alunos do ensino médio.

Diante disso, a equipe técnica da secretaria analisou as informações e constatou que os livros citados eram clássicos da Literatura Brasileira, muitos deles usados em processos seletivos e vestibulares.

Sendo assim, o processo eletrônico que contém a análise técnica foi encerrado imediatamente sem ordem de tramitação para quaisquer órgãos externos, secretarias ou escolas públicas.

A Seduc reforça o compromisso com a Educação e reconhece que os livros são obras de autores consagrados mundialmente e cumprem um papel importante para uma construção social. Prova disso, foram os extraordinários resultados dos alunos da rede pública estadual no último Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, além de diversas ações e investimentos que foram feitos recentes para o início do ano letivo.

Secretaria de Estado da Educação de Rondônia – Seduc/RO”

A secretaria ainda informou que serão tomadas todas as medidas necessárias para investigar o vazamento das informações internas equivocadamente documentadas. Contudo, palavras do Secretário, desmentindo o que inicialmente havia informado para jornalistas, revelaram que o memorando era “rascunho” feito por “técnicos”, – frisa-se, feito em um sistema oficial de informação do Estado -, e que não chegou a ser expedido. Suammy afirmou que não concorda com o teor do memorando e que os livros listados não serão recolhidos.

Segundo o gestor da pasta, o trabalho dos “técnicos” foi realizado após uma denúncia de que os livros continham “palavrões”. “[O departamento técnico] Fez uma checagem que não é conclusiva, porque a conclusão vai encerrar quando eles [técnicos] me apresentarem alguma coisa, e, pelo que eu estou vendo, já não querem mais apresentar. Mas, assim, são clássicos da literatura. ‘Macunaíma’ é filme e o escambau, entendeu? Não seria a Seduc de Rondônia que iria se invocar com um livro desse”, falou Suammy ao portal G1 Rondônia.

ÁUDIOS COMPLICAM AINDA MAIS A SITUAÇÃO DO GESTOR

Na manhã desta sexta-feira (07), fontes revelaram que a determinação do gestor da Seduc era de retirada dos livros sem alarde, inclusive, gestores de escolas foram avisados antes do memorando ser redigido, em grupos de WhatsApp, sobre a necessidade de retirada dos clássicos.

Áudios gentilmente cedidos pela equipe do Rondodinâmica.

OAB – NOTA DE REPÚDIO

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Rondônia (OAB/RO), por sua diretoria, tendo em vista a notícia de que a Secretaria de Educação do Estado de Rondônia, na data de hoje, 6 de fevereiro, enviou documentos a todas as escolas do Estado, determinando o recolhimento de livros considerados com “conteúdo inadequado”, vem a público, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 44, da Lei nº 8.906/1994, dirigir-se à advocacia e à sociedade brasileira para manifestar repúdio ao ato praticado pelo Governo do Estado de Rondônia, por sua Secretaria de Educação.

A determinação para recolhimento das 42 obras, inclusive clássicos da literatura brasileira que contribuem para formação e base da educação brasileira, representa odiosa censura e por isso mesmo viola os mais caros princípios e garantias fundamentais da Constituição Federal, atenta ao estado democrático de direito, bem como ofende a democracia e a cultura, que nos dá unidade como nação brasileira.

A OAB Rondônia reafirma seu papel na defesa da sociedade e ressalta que o plexo dos valores constitucionais vigentes em nosso país impõe a imediata revogação da malfadada medida em sua totalidade, e desde já, aduz que caso necessário recorrerá às medidas cabíveis com vistas a defender a sociedade.

INVESTIGAÇÃO

Diante da situação exposta na Seduc, o Ministério Público Federal (MPF), através do procurador da República Raphael Bevilaqua, informou na tarde desta quinta-feira (6) que um procedimento administrativo de investigação deve ser aberto para apurar o caso.

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...