Mundo Viagem

CORONAVÍRUS – Itália deserta e como você nunca viu depois do alerta do primeiro ministro

Quem está acostumado a ver uma Itália sempre movimentada e lotada de turistas se surpreende com a situação em que o país se encontra no momento com a epidemia do coronavírus. O que antes se concentrava apenas no norte, agora já se espalhou para todas as 20 regiões italianas, totalizando mais de 10 mil casos confirmados e cerca 630 mortes por conta da doença – o cenário mais grave do vírus na Europa e o segundo do mundo, atrás apenas da China.

Na segunda feira (9), o primeiro-ministro do país suspendeu a circulação de pessoas por todo o território italiano. Foi orientado que os italianos não saiam de casa, apenas em casos de emergência médica ou familiar – e quem desobedecer as regras da quarentena está sujeito a três meses de prisão e multa. Em Roma, o Coliseu fechou as portas no dia 9 de março e permanece sem visitas. O Vaticano também anunciou o fechamento da Basílica e da Praça São Pedro, em princípio princípio, até o dia 3 de abril.

Qualquer reunião pública, eventos esportivos (como partidas de futebol), funerais e casamentos foram cancelados. Escolas e universidades não terão aulas até pelo menos 3 de abril e cinemas estão fechados. Bares e restaurantes só podem funcionar até às 18h. Nesta tentativa de evitar aglomerações, as ruas da Itália estão desertas, quase como cidades-fantasma. Confira abaixo as imagens de algumas cidades nos últimos dias.

 Veneza

A cidade está acostumada a receber 24 milhões de visitantes por ano – quase 65 mil turistas diariamente. Mas a situação de agora é radicalmente diferente do estamos acostumados a ver: aquela visão da Piazza San Marco lotada e diversas gôndolas circulando pelos canais não poderia estar mais distante do cenário atual. A Piazza está deserta, com as mesas dos restaurantes em seu entorno vazias, e os gondoleiros mal trabalhando.

A Piazza San Marco deserta (Lifegate/Reprodução)

 

Restaurantes da Piazza até recolheram as cadeiras pela falta de visitantes (Lifegate/Reprodução)

Mais um restaurante vazio em Veneza (Lifegate/Reprodução)

 Milão

A Estação Central de Milão, que normalmente recebe em torno de 320 mil passageiros na correria diariamente, está (infelizmente) uma “calma” que só. As ruas capital mundial da moda também estão sem movimento, inclusive nos entornos da Galleria Vittorio Emanuele.

Estação Central de Milão (Lifegate/Reprodução)

 

Lado de fora da estação Central de Milão (Lifegate/Reprodução)

 

 

Um dos cruzamentos mais movimentados de Milão acordou assim nessa terça-feria (10) (Lifegate/Reprodução)