Esporte

Cruzeiro perde para o Palmeiras e é rebaixado pela primeira vez

Above

Pra um time que até este domingo havia vencido apenas sete partidas em 37 rodadas, a tarefa de vencer o Palmeiras, um dos elencos mais qualificados do Brasil, a missão era praticamente impossível. Para piorar, o Cruzeiro não dependia das próprias pernas para se salvar do rebaixamento: a equipe mineira precisava torcer por uma derrota do Ceará contra o Botafogo. Nem uma coisa, nem outra, e o time cruzeirense irá disputar pela primeira vez em 98 anos de história a segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Após o primeiro gol palmeirense, o que passou a se ouvir no estádio eram sons de bombas. Aos 35 minutos de jogo, quando o jogo já estava 2 a 0 para a equipe paulsita, o árbitro da partida entre Cruzeiro e Palmeiras decidiu encerrar o jogo por falta de segurança.

O rebaixamento é uma consequência desastrosa à temporada caótica dentro e fora de campo. Se os primeiros meses de 2019 seguiam a toada dos últimos anos – o Cruzeiro foi bicampeão da Copa do Brasil em 2017 e 2018 -, no restante da temporada o Cruzeiro viveu um processo de decadência que, não por coincidência, começou com uma denúncia de corrupção de dirigentes celestes.

O título do Campeonato Mineiro e a boa campanha na fase de grupos da Libertadores fizeram o time cruzeirense ser muito elogiado no início do ano, mais precisamente até o mês de abril. Em maio, começaram os problemas. Uma investigação da Polícia Civil resultou em uma denúncia de transações irregulares e uso de empresas de fachada para ocultar crimes cometidos dentro do clube. Isso gerou enorme instabilidade na equipe e não demorou para que os maus resultados aparecessem.

O rebaixamento é uma consequência desastrosa à temporada caótica dentro e fora de campo. Se os primeiros meses de 2019 seguiam a toada dos últimos anos – o Cruzeiro foi bicampeão da Copa do Brasil em 2017 e 2018 -, no restante da temporada o Cruzeiro viveu um processo de decadência que, não por coincidência, começou com uma denúncia de corrupção de dirigentes celestes.

O título do Campeonato Mineiro e a boa campanha na fase de grupos da Libertadores fizeram o time cruzeirense ser muito elogiado no início do ano, mais precisamente até o mês de abril. Em maio, começaram os problemas. Uma investigação da Polícia Civil resultou em uma denúncia de transações irregulares e uso de empresas de fachada para ocultar crimes cometidos dentro do clube. Isso gerou enorme instabilidade na equipe e não demorou para que os maus resultados aparecessem.

O Rondoniense (Com informações da Veja)

Below