Blog da Mara | Opinião e Notícia

Jornalista desde 1989. Trabalhou nos jornais Estadão do Norte, O Guaporé e Diário da Amazônia.  Cobriu eleições para a Agência Estado. Trabalhou no Governo de Rondônia por quase 20 anos. Foi assessora parlamentar durante 12 anos no Congresso Nacional. É graduada pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), com especialização em Ciências Políticas pela Unilegis, Universidade do Legislativo Brasileiro.   Entre em contato. Email maraparaguassu1@gmail.com    
Entrevista

Daniel Pereira: “Governo federal deve apoiar o Sebrae e Banco do Povo para acelerar geração de emprego e renda”

Talvez a ameaça de corte ou ajustes no Sistema S faça com que cada um possa aprimorar ainda mais o que já é bom

Diretor-superintendente do Sebrae-RO desde meados de janeiro, o ex-governador Daniel Pereira defende que o governo federal compactue com o Sistema S – formado por nove entidades do setor produtivo -, particularmente o Sebrae, políticas para acelerar a geração de emprego e renda.  São as micro e pequenas empresas que  geram emprego, e em Rondônia 98% dos estabelecimentos se enquadram nessa categoria.

“Temos 11, 12 e ate 14 milhões de desempregados no país, ao gosto de cada estatística. Se tem uma entidade que tem condições de ajudar o governo federal a reduzir isso é o Sebrae. Pode cobrar a política boa, nos cobrar resultados, sem problema. Agora entendo que deveria fazer o contrário da discussão em torno de reduzir  recursos. Deveria colocar mais dinheiro no Banco do Povo”, diz.  

O superintendente lembra que o Brasil tem uma lei para estimular o Micro Empreendedor Individual (MEI), e talvez concentrar esforços nesse ponto seja a única saída para gerar empregos.  Ao Blog da Mara, Daniel Pereira disse que o Sebrae Rondônia tem o mesmo orçamento da entidade em Roraima, Acre, Tocantins e Amapá, mas enquanto naqueles estados o atendimento anual foi de 10 a 12 mil pessoas, Rondônia atendeu 22 mil em 2018.    

Blog da Mara Notícia do final de maio, publicada nos grandes jornais, revela uma disputa em torno da gestão do Sistema S, com visões distintas de três grupos acerca de corte orçamentário e contrapartida ao governo federal. Qual avaliação que faz sobre essa situação?

Daniel Pereira –  Existem opiniões divergentes sobre como tratar o Sistema S daqui para frente.  Talvez a ameaça de corte ou ajustes faça com que cada um possa aprimorar ainda mais  o que já é bom; tem determinada despesa ou ação que se possa fazer com custo menor etc. E para mim isso é muito tranquilo. Para  quem passou pelo governo de Rondônia, quando no primeiro mês  tomaram cem milhões de reais da arrecadação, e em agosto e a partir de então mais 85 milhões de reais  e em nove meses  perdeu 200 milhões de reais, e conseguiu sobreviver, fechar as contas do estado e ainda sair com um balanço positivo, a gente encara qualquer  desafio.

Blog da Mara – O Sebrae Rondônia está pronto para ser cobrado por mais resultados?  

Daniel Pereira – Aqui em Rondônia 98 por cento são micro e pequenas empresas, e mais da metade do PIB quem constrói, quem trabalha  é a micro empresa. Se o governo federal quiser acertar a mão,  e nós torcemos para que acerte, basta cobrar resultado; estamos dispostos a isso. Coloque mais recursos no Sebrae e Banco do Povo, em quatro anos viramos a página.  No sistema temos o presidente da nossa entidade, o Hélio Dias, que faz um trabalho fantástico, de multiplicar os potenciais de Rondônia, não é diferente da indústria e do comercio, as escolas e curso técnicos, todo investimento em benefício da sociedade rondoniense. Temos 11, 12 e até 14 milhões de desempregados no país, ao gosto de cada estatística.  Se tem uma entidade que tem condições de ajudar o governo federal a reduzir o desemprego é o Sebrae. Pode nos cobrar política boa, cobrar mais resultados, agora deveria colocar mais dinheiro no Banco do Povo por exemplo. Levaríamos conhecimento, tecnologia e crédito para pequenas e medias empresas e principalmente para aqueles que não entraram no mercado formal de produção.  

Blog da Mara – É possível empreender mesmo em períodos de baixo crescimento da economia?

Daniel Pereira – Rondônia é diferenciado. Levantamento do IBGE feito recentemente, aponta que o estado é o terceiro com a menor taxa de desemprego do país. Perdemos apenas para Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e estamos empatados com Paraná.  Estamos à frente de gigantes. O estado tem um potencial enorme.  Já éramos para estar colhendo bons frutos, mas  infelizmente isso acabou não acontecendo, e as informações oficiais que temos é que no primeiro trimestre o crescimento nacional se não foi negativo foi muito próximo disso.  

Mas a vida nos ensina que são exatamente nos momentos difíceis que você consegue os grandes resultados.  O período de bonança acomoda as pessoas, deixa as pessoas menos atentas ao que está acontecendo. Rondônia com uma boa política, o governo estadual fazendo a parte dele, as prefeituras, e o Sebrae, somando a tantas outras instituições que fazem parte do desenvolvimento do estado,  tanto do setor público quanto privado, se tem momento oportuno para a gente se lançar ao mar, atravessá-lo e conquistar novas terras é agora.

Vou fazer 54 anos e desde que tenho memoria a gente a vida toda falou em crise. Acho que o problema de crise é um problema psicológico coletivo. Vivemos em permanente crise. E isso não impediu de nos últimos 40 anos construirmos 52 municípios em Rondônia, e de ser o primeiro estado do Norte e Nordeste a ter todos os municípios interligados por asfalto, faltam apenas 12 quilômetros para isso, fruto de muito trabalho e fruto de crise. Quando milhares de colonos foram empurrados para cá, é que já vivíamos uma crise no sul do Brasil.

Blog da Mara – Toda sua trajetória é na esfera pública. Servidor público da educação, vereador, deputado estadual, vice-governador, governador. Há 5 meses dirige o Sebrae. Como tem sido a experiência?

Daniel Pereira – A gente está conseguindo avançar porque a minha vinda para o Sebrae não foi uma iniciativa pessoal de procurar local de trabalho. Sou servidor púbico; encerrado o mandato, voltaria para a educação. Devido ao trabalho que fiz de ajudar o governador Confúcio Moura de potencializar a Rondônia Rural Show, transformá-la em feira internacional,  devido as muitas visitas que fiz dentro do estado, do país e fora do país no sentido de abrir espaço para a produção de Rondônia, isso fez com que a Federação da Agricultura, da Indústria e do Comércio e outras entidades me procurassem e me elegessem por unanimidade para que eu viesse para cá. Me sinto honrado e fico feliz, é uma espécie de reconhecimento pelo trabalho de vice-governador e governador. Temos aqui uma direção compartilhada, um superintendente e mais dois diretores, o Carlos Niemeyer (Administrativo-Financeiro) e Samuel Silva (Técnico). São de carreira, da casa, estou bem amparado, tecnicamente são muito bons e pessoas boas também. O Sebrae é uma entidade muito respeitada, e aqui em Rondônia isso se justifica de forma mais acentuada. Recebemos o mesmo orçamento que Acre, Tocantins, Amapá e Roraima, mas enquanto eles atenderam de 10 a 12 mil pessoas em cada estado ao longo de 2018, Rondônia atendeu 22 mil pessoas É uma máquina de prestação de serviços, evidentemente estou procurando ainda me encontrar, desenvolvendo uma serie de agendas, e continuo fazendo o que já fazia no governo,, ajudando a  motivar os nossos empresários, o fortalecimento do comércio local e buscando mercados seja fora do estado e fora do país.

Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios