Destaques

Desembargador concede prisão domiciliar aos presos pela Polícia Federal na Operação Reciclagem

Na manhã desta quarta – feira (25), o desembargador Roosevelt Queiroz Costa, acatou o pedido de prisão domiciliar apresentado pela defesa dos  políticos Gislaine Clemente (São Francisco do Guaporé), Luiz Ademir Schock (Rolim de Moura), Marcito Aparecido Pinto (Ji-Paraná) e Glaucione Maria Rodrigues Neri (Cacoal). Os políticos foram presos no dia 25 de setembro durante a fase ostensiva da Operação Reciclagem, desencadeada pela Polícia Federal e Ministério Público de Rondônia.

A base das decisões sobre prisões domiciliares dos acusados tem a ver com questões processuais, uma vez que a denúncia contra eles já foi oferecida pelo Ministério Público e houve encerramento de atos investigatórios com a apresentação de relatório final.

O desembargador determina na decisão do processo que os envolvidos deverão seguir uma série de medidas cautelares, entre elas é a proibição de acesso ou frequência às prefeituras e outros órgãos da administração municipal; comparecimento em juízo sempre que intimados; não podem manter qualquer contato com os demais investigados; não podem se ausentar do município sem determinação judicial; devem ficar em casa depois das 19 horas todos os dias, mesmos nos finais de semana e feriados.

Ainda consta na decisão, que a ex-prefeita Glaucione, de Cacoal, não poderá manter contato com o marido, o ex-deputado Daniel Neri, que também havia sido preso nessa mesma operação, mas conseguiu prisão domiciliar por estar sofrendo de câncer.

A investigação da Polícia Federal durou pouco mais de dez meses, teve início em dezembro de 2019 e contou a colaboração de um empresário que, recebendo exigência para recebimento de dívidas pela prestação de serviços ao poder público, resolveu contatar as autoridades para denunciar os ilícitos.