Brasil Destaques Saúde

DIA MUNDIAL – A prevenção contra o câncer está naquilo que você come, também

Estudos científicos revelam que consumir produtos de origem animal pode aumentar o risco de desenvolver a doença em até 64%.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer foi criado pela União Internacional Contra o Câncer (UICC)  com a intenção para apoiar os objetivos da Declaração Mundial do Câncer, que foi  lançada em 2008, cujo  objetivo é reduzir as mortes causadas pelo câncer, mobilizando órgãos e comunidades internacionais para ajudar a extinguir o sofrimento causado por essa doença tão letal.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer é lembrado nesta terça-feira (04), em todo o mundo, como forma de alerta conscientização para que as pessoas tenham acesso a tratamento e informações sobre a doença.

Anualmente, mais de oito milhões de pessoas morrem em decorrência de algum tipo de câncer, em todo o mundo, os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A prevenção ainda é considerada o melhor remédio e tudo indica que ela começa no prato. Análises científicas mostram cada vez mais evidências que os fatores alimentares estão diretamente associados ao surgimento da doença.

Um dos fatores na alimentação que podem causar risco de câncer de cólon, por exemplo, deriva, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), já comprovado no consumo de carne processada. A OMS alerta que a cada 50 gramas consumida, o risco de câncer de cólon aumenta em cerca de 20%.

A organização chegou a esse número graças a grupos de estudos formados pela própria entidade, que analisaram mais de 800 estudos diferentes, investigando mais de 12 tipos de câncer em seres humanos, relacionados ao consumo de carne vermelha e carne processada, em vários países e com populações diversas.

No Brasil, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) , utilizou como base os dados da OMS para reforçar a prevenção e o estilo de vida da pessoas em relação ao consumo de carnes.

De acordo com o médico nutrólogo e diretor do departamento de medicina da SVB, Dr. Eric Slywitch, o consumo de carne (de todos os tipos), no Brasil, é de 233g por dia, em média, por pessoa, que é 3 a 4 vezes mais o que as diretrizes nutricionais sugerem para a população que come carne.

PREVENÇÃO E ALIMENTAÇÃO CORRETA

Outros fatores que englobam  os riscos de câncer estão no consumo regular e diário de leite e seus derivados, como os queijos e a manteiga, principalmente ao câncer de próstata fatal.

O único fator de atenção está relacionado à vitamina B12. Como a alimentação vegetariana estrita não contém vitamina B12 é recomendado o acompanhamento periódico dos níveis dessa vitamina no sangue. E vale lembrar que a deficiência de vitamina B12 é, também, bastante prevalente na população onívora, igualmente, demandando atenção.

Tecnicamente falando, os cereais integrais, leguminosas, legumes e verduras, frutas, sementes e nozes, como a soja, arroz integral, milho, aveia, chás, brócolis, repolho, agrião, feijões, endívia, alho, tomate, morango, uvas têm polifenóis como kampferol, quercitina, galato de epigalocatequina, isoflavonas, miricetina, genistein, resveratrol, que inibem a captação de glicose pelas células cancerosas, causando déficit energético e levando-as à morte.

Uma das recomendações é adotar uma dieta vegetariana é uma estratégia inteligente para a prevenção contra o câncer, avalia o Dr. Eric, da SVB. Os dados mostram que vale repensar os seus hábitos alimentares, pois eles podem salvar.

O Rondoniense (Marcos Souza com informações da OMS e SVB)