Economia

Dívidas atrasadas: derrotado por um cartão de crédito? – Por Bianca Lopes


SÉRIE: PROBLEMAS FINANCEIROS DOS BRASILEIROS

Levanta a mão quem aí nunca perdeu, pelo menos uma vez na vida, o controle dos gastos no cartão de crédito. Às vezes por consumismo, por necessidade ou mesmo imprevisto (vivemos um período de crise econômica e muita falta de emprego), falta de informação e até por não acompanhar prudentemente o limite dos seus gastos. É fácil extrapolar o orçamento gerando dívidas difíceis de serem pagas.  

O cartão de crédito é uma ferramenta financeira muito boa, se bem utilizada. Com ele é possível fazer compras parceladas e com prazo maior. Mas, tem algo mais incrível nesse pequeno pedaço de plástico: ele tem o poder de “dar” uma sensação à pessoa de que ela tem mais dinheiro do que realmente tem. É como se gerasse, dentro da mente do consumidor, uma capacidade de poder comprar aquele objeto desejado, que nunca foi possível adquirir antes, porque o lindo pedaço de papel azul com um singelo peixinho desenhado insiste em não fazer morada na carteira do entusiasmado consumidor.

E o que dizer, então, de trazer seus outros amigos da floresta: Onça-pintada, mico-leão-dourado e a arara-vermelha, as notas de R$ 100, R$ 50, R$ 20 e R$ 10 transbordando na conta bancária.

Pergunto: o seu cartão de crédito trouxe felicidades para sua vida ou se tornou o seu grande inimigo? Ele é um aliado e amigo das suas finanças ou é o seu maior pesadelo? Será que seus dias tornaram-se uma grande missão pela qual você dorme e acorda pensando em como derrotar esse gigante chamado “juro do cartão de crédito”? E quanto mais você não paga a fatura total do cartão de crédito, maior fica o seu saldo devedor, pois além do juro pelo não pagamento do valor total devido será acrescentado juro de mora e multa no próximo vencimento.

É, parece guerra travada na qual você está sempre em desvantagem. O valor que você deverá pagar aumenta e, quanto mais o tempo passa – e você não paga o valor devido, maior a sua desvantagem nessa batalha contra os juros.

Resumindo, se o assunto é fatura de cartão de crédito, o que você não paga hoje, ficará bem mais caro amanhã.

Que fique claro, você precisa ter em mente que pagar somente parte do valor devido ou adiar o pagamento da fatura mensal do cartão de crédito só trará mais dificuldades financeiras a você. Na próxima fatura, terá que pagar um valor mais alto e, acredite em mim, mesmo que a instituição financeira do cartão te ofereça um crédito parcelado com uma taxa de juros “menor” para pagar o saldo devedor, o valor final ainda será bem maior comparado ao valor inicialmente devido.

Agora que você já sabe que se pagar seu cartão de crédito nas datas vincendas continuará com sua vida tranquila, mas se não pagar ficará um tanto encrencado financeiramente, o que você vai fazer com toda essa informação? Sim, porque o cartão, o crédito, o consumo e o gasto são todos seus. É sua responsabilidade permanecer sendo derrotado pelos juros ou mudar a estratégia para conseguir alcançar a vitória e adquirir os prazeres de uma vida financeira organizada e tranquila.

Você decide como vai se comportar de hoje em diante em relação a sua situação financeira. Se o seu caso é esse de estar inadimplente no pagamento do cartão de crédito e eu pudesse sugerir algo a você seria: procure saber exatamente o tamanho da sua dívida; faça um levantamento anotando o quanto ganha e quanto gasta mensalmente com despesas fixas e com despesas que acontecem mas não precisam acontecer; reserve um valor por mês para pagar o cartão de crédito; e, o mais importante: negocie com a administradora do cartão um pagamento com parcelas fixas e com juros mais baratos e corte seus gastos supérfluos, deixando de ser um tanto materialista, parando de consumir compulsivamente coisas que você não precisa na busca de felicidade, prazer, segurança ou prestígio social.

Mude seus hábitos. Eduque-se financeiramente. Planeje seu orçamento mensal. Possua cartão de crédito em quantidade e limite que correspondam a sua condição financeira ou nem possua um. Cancele cartões extras. Procure orientação profissional caso precise. Um cartão de crédito pode até proporcionar uma imaginária sensação de que VOCÊ tem dinheiro, mas é VOCÊ quem digita a senha dele, ou não. Reflita antes de realizar uma compra e se não tiver como pagá-la, não compre.

Bianca Lopes. Economista. Consultora na área de finanças, negócios e relações institucionais. Aluna de pós-graduação em Educação Financeira pelo Instituto DSOP, pós-graduada em MBA Finanças, Controladoria e Auditoria pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e graduada em Economia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Instagram @biancalopeseconomista

Facebook Bianca Lopes

VEJA TAMBÉM:

STATUS: EM UM RELACIONAMENTO SÉRIO COM AS DÍVIDAS – Por Bianca Lopes


Comentários

Via
O Rondoniense/Bianca Lopes
Fonte
O Rondoniense
Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios