Destaques

Doutores da Amazônia prepara atendimentos a povos indígenas da região do Rio Guaporé e Mamoré em outubro

Divulgação

A ONG Doutores da Amazônia está organizando uma força-tarefa para ajudar os povos indígenas no enfrentamento à Covid-19 na região do Rio Guaporé e Mamoré. Ao todo, são mais de 20 profissionais da saúde envolvidos na campanha que está prevista para acontecer entre os dias 20 e 31 de outubro da Unidade de Saúde Social Fluvial Walter Bartolo.

A missão terá seu foco em testagens, atendimentos e orientações médicas sobre a Covid-19. Os profissionais voluntários estarão preparados também para realizar atendimentos de emergências odontológicas e médicas, além da distribuição de milhares kits de higiene e prevenção.

A ONG já conta com a autorização da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) e Fundação Nacional do Índio (Funai) para atuar seguindo todos os protocolos de higiene previstos. Além da colaboração na logística da Kanindé Associação de Defesa Etnoambiental.

Equipe de atuação

A força operacional conta com mais de 12 médicos especialistas, entre eles ginecologistas, oftalmologistas, radiologistas, clínicos gerais, especialistas medicina da família, entre outros. Estarão no Barco hospital também dois dentistas especialistas; dois farmacêuticos; um biomédico; dois enfermeiros e dois técnicos de enfermagem.

Meta

De acordo com o itinerário da ação, a expectativa é de que sejam realizados mais de 2.000 atendimentos e 5.000 procedimentos de saúde nas seguintes comunidades indígenas localizadas em:

20/10: Deolinda;
21/10: Barranquilha
22 2 23/10: Sotério
24, 25 e 26/10: Ricardo Franco
27, 28, 29/10: Surpresa
30/10: deslocamento para Guajará-Mirim

Atuação durante a pandemia

Desde o início da pandemia, a Organização já encaminhou mais de nove toneladas produtos de higiene, equipamentos de proteção individual, alimentícios, pesca e ferramentas de agropecuária para indígenas de Rondônia e Amazonas se protegerem do novo coronavírus.

“Os produtos passaram por um protocolo de higienização e desinfecção para serem entregues nas aldeias. Ao todo, desde o início da pandemia, já foram encaminhadas pela organização 14 toneladas desses produtos e encaminhado para oito estados. Ainda nos próximos dias serão enviados pela ONG dezenas de testes rápidos”, comentou o fundador da Doutores da Amazônia, cirurgião dentista Caio Machado.

Os suprimentos arrecadados pela ONG são essenciais para auxiliar as comunidades indígenas no abastecimento das aldeias durante a pandemia, já que boa parte dos alimentos e outros produtos básicos são adquiridos nas cidades fora da comunidade.

Caio Machado explica que no atual cenário de pandemia, o vírus já chegou em boa parte das aldeias brasileiras. “A missão da Doutores da Amazônia sempre foi realizar ações de atendimento odontológicos e médicos a povos indígenas do país. Porém, com a chegada da Covid-19, as ações presenciais nessas comunidades precisaram ser interrompidas e buscamos outras maneiras de colaborar. Agora, vamos realizar essa ação seguindo todos os protocolos de saúde e não deixar de realizar atendimentos nesse momento tão difícil”, ressaltou.

Assessoria