politica

Emenda de Mosquini garante força tarefa para Incra de Rondônia

O deputado federal Lucio Mosquini participou de uma videoconferência com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o presidente nacional do Incra, Geraldo Melo Filho, para tratar da assinatura do termo de cooperação com o Governo de Rondônia cuja finalidade é dar início a nossa força tarefa para titularizar milhares de propriedades e beneficiar cerca de 17 mil famílias em Rondônia.

Também participaram da reunião o governador Marcos Rocha, o secretário especial de Assuntos Fundiários, Nabhan Garcia, o secretário estadual de Agricultura, Evandro Padovani, o superintendente regional do Incra, Ederson Bruscke, e autoridades estaduais.

Como havia sido anunciado pelo parlamentar no mês de maio, o Incra organiza uma força tarefe em parceria com governo de Rondônia, viabilizada através de emenda parlamentar do deputado federal Lucio Mosquini, para agilizar milhares de processos de titularização de terras a produtores rurais.

O governador Marcos Rocha anunciou que irá contratar 35 técnicos que serão capacitados para fazer a validação das peças técnicas de georreferênciamento do Estado, ou seja, fazer o treinamento do SIGEF – Sistema de Gestão Fundiária, para o estado de Rondônia.

Mosquini explicou que a meta estimada nesse primeiro momento é entregar mais de 10 mil títulos rurais em 12 meses. O presidente do Incra Geraldo Melo Filho disse que o Incra já está com planejamento concluído para atuar em mais de 60 assentamentos. O presidente explicou que essa ação irá beneficiar 16.981 famílias.

O anúncio do termo de cooperação foi realizado através de videoconferência com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil (Mapa), Tereza Cristina, onde destacou que através de iniciativas como essa em Rondônia, pode se tornar o case de sucesso em desenvolvimento agropecuário do Brasil. ‘‘É desta forma que Rondônia pode se tornar referência de modernidade na agropecuária’’, considera a ministra.

O deputado federal, Lúcio Mosquini destacou durante a videoconferência que a Amazônia tem condições de desenvolver o agronegócio com tecnologia, sem precisar desmatar. ‘‘Basta regularizar o que já existe. Com tecnologia é possível produzir onde já está antropotizado. A maior tecnologia que temos para avançar é o título, pois é o que dá acesso a crédito e à venda dos produtos para o mundo’’, considera.

Assessoria