Capital Destaques

Energisa descumpre determinação e põe seus funcionários nas ruas para corte de energia

Após o Decreto de Calamidade Pública no Estado de Rondônia, a Energisa informou que estavam suspensas as atividades durante 15 dias da empresa.

Entretanto, no último sábado (21), moradores do Orgulho do Madeira, começaram a denunciar nas suas redes socais que trabalhadores de serviços prestados da Energisa estavam  realizando fiscalizações nas caixas distribuidoras de fornecimento de energia elétrica. Outra reclamação que foi vista nas redes sociais foi que de fato estavam ocorrendo cortes em pleno fim de semana indo contra a determinação da Lei 4.660/19, além de não respeitarem o aviso prévio de 15 dias para o corte de fornecimento de energia elétrica, determinado na mesma Lei.

Veja as fotos:

Nesta segunda-feira (23), policiais militares abordaram trabalhadores prestadores de serviço da Energisa, orientando que retornassem para a empresa.

Veja:

Entretanto, os Deputado Estaduais aprovaram o PL 468/2020, de autoria do deputado Alex Silva (Republicanos) que proíbe corte do fornecimento de água e energia elétrica por inadimplência provocada em decorrência do Coronavírus; e o PL 459/2020, de autoria do deputado Jair Montes (Avante), proíbe aumento nas tarifas dos produtos e serviços relacionados a fornecimento de água, luz, Internet e gás enquanto durar o decreto de Estado de Calamidade Pública de Rondônia. Estes projetos de Lei foram aprovados, aguardando a sanção do Governador Marcos Rocha.

Veja o vídeo de um dos Deputados Estaduais:

Caso haja descumprimento do Decreto que estabelece o fechamento de empresas de serviços não-essenciais, deve-se denunciar para a Promotoria da Cidadania do Ministério Público do Estado através do número (69) 3216-3700 – Ramal 63588 e whathsapp (69) 9203-9890, ou para a Polícia Militar. Lembrando que a Polícia Militar em conjunto com o Corpo de Bombeiros estão realizando fiscalização juntamente com a Prefeitura através da Semfaz e Departamento de Posturas pela cidade de Porto Velho.