Economia Rondônia

Exportações crescem nos primeiros meses de 2020 em Rondônia

Dados da Federação do Comércio, o estado de Rondônia registou aumento na exportação de grãos e carnes nos primeiros meses de 2020. Entre os maiores compradores está a China.

Nos primeiros sete meses deste ano, as exportações cresceram 6,57% em relação ao mesmo período de 2019. O mês com pico de exportação foi julho, com um crescimento de 16% em relação a julho do ano anterior. De acordo com o superintendente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero), Gilbero Batista, a carne é o produto responsável pelo aumento nas exportação do estado.

“Hoje a carne é o que está puxando essas exportações. O crescimento nas exportações da carne, nos sete primeiros meses de 2020 em relação aos sete primeiros meses de 2019, foram de mais de 21% em dólar. Se a gente imaginar que esse dólar também teve uma valorização quase na ordem de 30%, por aí se calcula o quanto cresceram as exportações rondonienses”, fala Gilberto.

Rondônia exporta para mais de 90 países. Segundo a Fiero, os grãos são vendidos principalmente para o mercado europeu, a partir do porto de Hoterdam na Holanda. Enquanto a carne vai para China, Egito, Chile, entre outros países, sendo a China o principal comprador.

“Na China, para ter uma ideia, as exportações dos sete primeiros meses de 2020 em relação aos sete primeiros meses de 2019, houve um crescimento de 112%. Cresceu mais do que o dobro”, explica o superintende da Fiero.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon), Hélio Dias, destaca entre os fatores para o aumento da exportação a tecnologia e o aumento da área plantada.

“O aumento de área, principalmente essa área do arco norte para cá, Mato Grosso e Rondônia, é região de expansão de fronteira agrícola. Aqui onde tinha pasto velho está virando roça com uma safra, duas safras, até três se for o caso”, comenta.

De acordo com a Federação da Indústria, 2020 pode fechar com cerca de R$ 1,5 bilhão em exportação, sendo que de janeiro a julho já foram contabilizados mais de R$ 900 milhões.