Rondônia

Faperon pede para JBS atender protocolos e reabrir frigorífico urgentemente a fim de evitar ‘colapso econômico’

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon) encaminhou um ofício para a JBS e autoridades de saúde solicitando o atendimento dos protocolos judiciais e a reabertura, de forma urgente, do frigorífico de São Miguel do Guaporé. O receio da federação é um ‘colapso econômico’ no estado por causa da paralisação no abate de bovinos.

As atividades da JBS em São Miguel foram suspensas pela segunda vez através de decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT-14). O judiciário entendeu que devido os casos de Covid-19 subirem mais de 1.000% desde o final de maio na cidade (e centenas de casos serem em funcionários da JBS), a unidade deve ficar fechada.

Depois da interdição da unidade, o presidente da Faperon assinou um ofício e encaminhou à JBS solicitando a rápida adesão dos protocolos de segurança, apontados pela justiça, e que assim reabra o frigorífico urgentemente.

Segundo o presidente da Faperon, Hélio Dias de Souza, o frigorífico de São Miguel tem uma importância social e econômica para milhares de famílias “trabalhadoras e fornecedoras de matéria-prima”.

Com a interrupção no abate de centenas de bovinos, Hélio Dias também destaca o impacto financeiro que o setor produtivo pode sofrer.

“Na garantia da segurança dos postos de trabalho dos 850 funcionários [da JBS] e mais 4 mil produtores e pecuaristas da região que fornecem matéria-prima para o frigorífico de São Miguel, num total estimado de 270 mil bovinos abatidos por ano, a paralisação está causando sérios prejuízos econômicos, principalmente aos municípios de São Miguel, municípios vizinhos e ao estado”, diz o ofício da Faperon.

G1 Rondônia