Amazônia Destaques

Focos de queimadas de Rondônia aumenta 330%

Queimadas na Amazônia. — Foto: Carl de Souza/AFP

Dados captados do satélite de referência do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam a alta das queimadas em outubro de 2020 no estado de Rondônia. De acordo com o Inpe, o estado teve um aumento de 335% antes mesmo do mês terminar, na comparação com igual época do ano passado, ou seja, nos 28 dias de outubro deste ano, o estado somou 2.401 pontos de chamas. Em 2019, foram 556.

O número de focos de queimadas é o maior em Rondônia desde 2015, quando Rondônia acumulou 2.470 pontos de fogo em todo o mês.

A quantidade atual de focos também faz com que o mês este ano seja o oitavo pior outubro em incêndios na região desde 1998. Nos primeiros 20 dias, estava em nono lugar. O pior ano para o mês continua sendo 2003: Rondônia registrou 7.593 focos ativos naquele período, segundo o Inpe.

Nesses 28 dias, o estado passou à terceira colocação do ranking das regiões do Norte que mais acumularam focos de queimadas, ficando atrás do Pará e do Mato Grosso. Também foi nesse período que Rondônia representou 15,1% das queimadas em toda Amazônia, ao registrar 15.844 focos.

A capital Porto Velho continua na primeira posição do ranking dos municípios da Amazônia que mais tiveram pontos de incêndio detectados. Foram 550 focos de queimadas entre 1º e 28 de outubro de 2020 na capital.

Segue o ranking das cidades:

  • São Félix do Xungu (PA) – 468
  • Portel (PA) – 456
  • Pacajá (PA) – 340
  • Xapuri (AC) – 320
  • Brasiléia (AC) – 296
  • Altamira (PA) – 277

 

No estado de Rondônia, os municípios que mais registraram focos de queimadas nos 28 dias de outubro são:

  • Porto Velho – 550
  • Nova Mamoré – 187
  • Cujubim – 178
  • Machadinho D’Oeste – 178
  • Pimenteiras do Oeste – 156
  • Candeias do Jamari – 104
  • Alta Floresta D’Oeste – 99

De acordo com o Inpe, as queimadas na Amazônia em 2020 já ultrapassaram o total registrado de janeiro a dezembro de 2019. Ao todo, segundo o Inpe, foram detectados pelos satélites 89.604 focos de calor até agora. No ano passado, foram detectados 89.176.

*Informações iniciais do G1/RO