Esporte Mundo

Fórmula E cancela corrida na China por epidemia do coronavírus

A organização da Fórmula E anunciou nesta semana o cancelamento de sua tradicional etapa na China, que aconteceria no dia 21 de março. A suspensão da prova, que aconteceria na cidade de Sanya, no sul do país, vem como mais um reflexo da epidemia do coronavírus, que surgiu na cidade de Wuhan, na região leste do país.

Em comunicado, a FIA (Federação Internacional do Automóvel) disse ter trabalhado ao lado do governo chinês e também de parceiros comerciais para chegar a essa decisão. De acordo com a organização da prova, a suspensão da etapa foi tomada como forma de proteger a saúde dos espectadores e também dos participantes, que viajam o mundo levando a Fórmula E a diferentes países do mundo.

Desnecessário dizer que eventos desse tipo são, justamente, um foco de atenção por reunirem uma grande aglomeração de pessoas em um único local e também centenas de viajantes, dois pontos principais para a disseminação de epidemias como a do coronavírus. A FIA afirmou ainda que continua em contato com os parceiros locais e o governo para monitorar a situação e organizar uma nova data para a corrida na China.

A decisão da FIA pode ser vista, inclusive, como um precedente para o cancelamento de outras competições, não apenas do automobilismo. Com o comunicado, os olhos se voltaram rapidamente para a Fórmula 1, que também tem uma etapa na China marcada para o final de semana de 21 de abril, em Xangai. Por enquanto, a data está mantida, com a associação afirmando estar “monitorando a situação”.

A epidemia do coronavírus foi categorizada como emergência internacional na última semana pela Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com os dados mais atuais, já são mais de 20,4 mil infectados apenas na China, país que acumula 426 mortos por conta da infecção, que já chegou a mais de 25 países, incluindo Estados Unidos, Canadá e oito nações da Europa.

No Brasil, nenhum caso foi confirmado ainda, mas existem 14 pacientes em quarentena sob suspeita de infecção pelo coronavírus. O governo também anunciou estado de emergência e disse que vai repatriar cidadãos que estão em Wuhan, na China, cidade considerada o epicentro do surto. Eles permanecerão em quarentena em nosso país, mas os detalhes ainda estão sendo definidos pelas autoridades de saúde.

  • CanalTech.com