Economia Interior

Frigoríficos de Rondônia entram em férias coletivas por falta de gado

Foto: Daiane Mendonca

Devido a alta do preço da arroba bovina, o estado de Mato Grosso, resolveu aderir férias coletivas em frigoríficos. A adesão das férias também está ocorrendo no estado de Rondônia. A decisão ocorreu devido mercado interno está fraco após os impactos da pandemia do coronavírus sobre a economia.

Entre as empresas que resolveram conceder férias coletivas nas últimas semanas foi a Marfrig, sendo a segunda maior processadora de carne bovina do mundo. As unidades da empresa em Ji-Paraná e Chupinguaia, em Rondônia, ambas com capacidade de abate de até 20 animais por hora cada um, também concederam férias coletivas a seus funcionários e só devem retomar a compra de gado na semana que vem.

Em nota, a empresa afirma que a suspensão da atividade “faz parte de um planejamento estratégico, que visa a otimização de recursos e manutenção dos equipamentos”.

A gente está passando por um momento muito difícil na oferta de boi vivo. Há uma dificuldade muito grande por conta do ciclo pecuário que está se revertendo e estamos entrando num momento de retenção de fêmeas”, explica o analista da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini Ferreira.

Paralelamente ao ciclo de alta da pecuária, que confere um bom cenário de preços ao produtor, o mercado consumidor encontra-se em um momento de perda de renda após a pandemia – cenário que só não foi pior por conta do auxílio emergencial oferecido pelo governo.

“O auxílio emergencial ajudou muito a manter a carne no consumo da população, mas o que a gente tem agora é um auxílio saindo de cenário, diminuindo-se o volume do dinheiro ao mesmo tempo que a carne e vários alimentos subiram muito”, destaca o analista.

Com o menor poder de compra da população, as empresas têm enfrentado dificuldades para repassar a valorização da arroba bovina para o consumidor final, que tem migrado para proteínas mais baratas. “O mercado interno melhorou do ponto de vista de preço, só que ainda tem um consumo bem combalido. As pessoas estão migrando cada vez mais para proteínas mais baratas. Não à toa vimos uma forte valorização do frango congelado”, completa Ferreira.

Além das duas unidades da Marfrig, pelo menos outras duas empresas decretaram férias coletivas no país nos últimos dias. Também em Ji-Paraná (RO), a Distriboi, paralisou as atividades no último mês, tendo retomado as atividades em outubro.

*Informações iniciais do Globo Rural