Connect with us

Hi, what are you looking for?

Capital

Funcionários do setor de alimentação do Hospital de Base entram em greve

Na manhã de sábado (9), funcionários do setor de alimentação do Hospital de Base, entraram de greve. De acordo com os servidores, o motivo da interrupção do fornecimento de alimentos seria atraso nos salários.

O serviço é prestado por uma empresa terceirizada e segundo os funcionários, estima-se que mais de 800 pessoas tenham ficado sem as refeições por conta do movimento.

Uma servidora do hospital informou que a prestação de serviço de alimentação vem sendo interrompida desde a quarta-feira (6), e que neste sábado, durante a manhã, a greve teve adesão de 100% dos funcionários.

De acordo com Sindsaúde, os  profissionais da área da saúde vivem sob tensão com o aumento da carga de trabalho devido a pandemia de covid-19 e, agora, com a de falta de alimentação, o problema só agrava o estado emocional dos servidores.

O sindicato informou também que se esse impasse não for resolvido ainda pela manhã, os trabalhadores do Hospital de Base, vão parar as atividades na unidade de saúde. Há relato de servidores informando que se instalou um caos no local.

O que diz o Governo de Rondônia?

Em nota, o Governo de Rondônia diz que a prestação de serviço foi interrompida apenas na quarta-feira, durante uma refeição e que logo após isso, o serviço teria sido normalizado.

A nota ainda nega que há greve e explica que a responsabilidade do pagamento destes funcionários é da empresa contratada pela secretaria de saúde.

Veja a nota na íntegra:

“Na noite de quarta-feira (06/01), alguns trabalhadores recusaram a prestação de serviço, o que ocasionou a falta da refeição: ceia.

A empresa que presta serviço alimentício na nossa unidade é a NUTRIMAIS SERVIC ALIMENTOS.

No momento, o serviço está reestabelecido, e a empresa informou que não ocorrerá a greve.

Em relação ao processo de pagamento salarial dos empregados da prestadora de serviço, informamos que são realizados sob-responsabilidade da mesma que deve obedecer ao regime de contratação que é o da CLT.

Em relação aos salários atrasados, não temos informações clara, entretanto evidenciamos que a Sesau está em dias com os pagamentos conforme firmado em contrato.”

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...