Capital Destaques

Governador, em coletiva, culpa população pelo crescimento dos casos de coronavírus. Veja o vídeo

Na tarde desta sexta – feira (08), o governador de Rondônia Marcos Rocha (PSL) e o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB), realizaram um pronunciamento conjunto. Os gestores falaram da possibilidade de endurecer as medidas de isolamento, em Rondônia.

O Governador afirmou que por conta de festas e reuniões que foram feitas durante o período de isolamento, além de um velório que durou cerca de 12 horas e contou com um grande volume de pessoas, colaboraram para aumentar o número de casos de coronavírus em Porto Velho e Ariquemes, que registra o segundo maior número de casos no Estado. Rocha ainda disse que reuniu-se com setores do comércio para trabalharem juntos, com a finalidade de reduzir ainda mais a circulação de pessoas na cidade.

O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves complementou a fala de Marcos Rocha, e afirmou que se faz extremamente necessário que a população respeite as medidas de isolamento social para evitar o colapso do sistema de saúde, “vamos ter que adotar medidas duras de fechamento caso isso não ocorra”, disse Hildon.

A CULPA É SEMPRE DOS OUTROS

O Governador Marcos Rocha, iniciou seu discurso para a coletiva de imprensa nesta sexta-feira responsabilizando parte da imprensa, que criticou a locação do hospital Prontocordis, pela não realização do contrato. Segundo Rocha, o convênio com o hospital, ‘resolveria o problema’, mas ele culpou ‘os fofoqueiros’ pela desistência do negócio.

O hospital seria alugado por pouco mais de R$ 3 milhões, por três meses, mas os detalhes do contrato e a justificativa, na época, não eram claras, o que gerou uma série de suspeitas.

Marcos Rocha informou que diante da situação, o Governo então comprou uma maternidade. Um prédio de 33 anos de idade por R$ 12 milhões.

“Compramos calados para evitar novas fofocas”, disse Marcos Rocha.

O hospital comprado pelo Governo do Estado de Rondônia está instalado em uma área residencial, não possui estacionamento sequer para ambulâncias e está passando por reformas.

*Informações iniciais do Blog do Painel